Semente para o futuro

As famílias sorocabanas interessadas em mudar a sociedade, cuidando das crianças, período da vida onde ainda é possível influenciar o futuro de um adulto, vão ganhar um mecanismo legal, chamado de Programa Família Acolhedora, que envolve uma parceria da Prefeitura de Sorocaba, da Justiça e do Ministério Público.

Trata-se da possibilidade de quem se cadastrar receber em suas casas, por um período determinado, crianças, adolescentes ou grupos de irmãos, afastados do convívio familiar por ordem judicial em situação de risco pessoal e social, dando-lhes acolhida, amparo, aceitação, amor e a possibilidade de convivência familiar e comunitária.

A família de acolhimento representa a possibilidade de continuidade da convivência familiar em ambiente sadio para a criança ou adolescente, pois a família de apoio apenas assume o papel de parceira no atendimento e na preparação para o retorno à família biológica ou substituta.

Cada família acolhedora deverá amparar uma criança/adolescente por vez, exceto quando se tratar de grupo de irmãos, quando esse número poderá ser ampliado. Pela proposta, as Famílias Acolhedoras receberão como ajuda de custo um salário-mínimo durante o período em que o acolhimento acontecer, contanto, as crianças e adolescentes que participam do programa, poderão retornar aos seus lares originais ou ser encaminhados para adoção.

Tanto casais como mulheres e homens solteiros, também podem ser acolhedores. As famílias são selecionadas, capacitadas e acompanhadas pela equipe técnica do Serviço de Acolhimento a ser contratado pela Administração Pública Municipal através de parceria com a Secretaria de Igualdade e Assistência Social.

Quem acertou

Os trâmites legais do Programa Família Acolhedora foram tratados pelo prefeito Crespo (auxiliado pelos secretários de Igualdade e Assistência Social, Cíntia de Almeida, e de Gabinete Central, Eric Vieira), juíza Erna Tecla Hakvoot, e a promotora de justiça Cristina Palma, ambas da Infância e Adolescência de Sorocaba.

O prefeito ouviu as solicitações da juíza e da promotora para que Sorocaba possa implantar o programa e designou Cíntia de Almeida para agir de maneira a fazer acontecer o Programa Família Acolhedora.

Este blog julga esse um dos mais importantes projetos sociais e estará atento a datas e condições para informar à sociedade sorocabana de como participar dele.

Comentários

Leia também