Servidor da área da saúde da Prefeitura por 30 anos afirma que reestruturação proposta por Crespo para a área já foi feita na gestão Lippi e falhou. Mais, ele lembra que o gestor da época é o mesmo de agora

UnidadeBsaudeA visita do prefeito e das pessoas por ele convidadas para ir até a empresa que oferece serviço de atendimento faz parte da “busca de conhecimento e de aprendizado, para contribuir com o sistema de saúde”, explicou Crespo, do Programa de Reestruturação do Atendimento Básico da Saúde de Sorocaba.

Mas um servidor da área da saúde por mais de 30 anos na Prefeitura de Sorocaba lembra que o gestor deste programa de Crespo é o mesmo gestor de programa idêntico do governo Vitor Lippi, o secretário de Saúde, Ademir Watanabe. Ele lembra que levaram o nome de “Uso Certo” e “Manchester” os programas daquela época e desconfia de que agora venha a dar certo. Pior, ele acredita que falta comprometimento dos gestores com a saúde.

Além dos problemas estruturais, fica ainda esse problema de falta de confiança do servidor a respeito do que esta sendo feito.

Leia a íntegra do que afirma o leitor deste blog, servidor de 30 anos da área da saúde:

Bom dia Deda.

Sou aposentado da área da saúde da Prefeitura de Sorocaba, onde trabalhei durante 30 anos e, confesso, nunca ter visto gestões tão ruins nesta área como vi nos últimos 8 anos (o que inclui neste período o último secretário da Saúde do prefeito Vitor Lippi; os 5 secretários da saúde que ocuparam a pasta durante o prefeito Pannunzio e os 3 secretários da saúde deste primeiro ano do prefeito Crespo).

Vou citar algumas atitudes que pode servir nos seus comentários:

Foi criado no final da gestão do Lippi o programa “Uso Certo” onde o objetivo da secretaria de Saúde era o de conscientizar a população sobre o forma correta de usar os serviços de saúde da prefeitura, Não serviu para nada, fracasso total.

Foi criado também o programa de Manchester, que usava cores para o grau de risco de atendimento. Outro fracasso total.

Detalhe: Esses programas foram criados e orientados pelos mesmos servidores e prestadores que estão hoje no comando da Secretaria da Saúde e posso citar os nomes deles: Dr Ademir, dr. Vagner Guerreiro, Dr. José Manoel, entre outros. São todos servidores que já têm incorporados no salário 100 %, ou seja, trabalham 15 horas por semana e ganham o teto do prefeito. Então, ao meu ver eles, estão pouco se importando para a saúde de Sorocaba.

Nessa reestruturação, as informações de bastidores é de que a prefeitura espera que 20% dos médicos peçam exoneração do cargo. Aí pergunto: que raio de programa de reestruturação é esse que atua para que 20 % dos médicos da rede saiam de seus postos de trabalho?

Foi realizado um concurso em 2015 com vários médicos aprovados, inclusive médicos de renomes e de excelência profissional, mas não foi chamado ninguém. Por quê?

A prefeitura cortou 50% das horas dos atuais médicos, o concurso no edital era de 30 horas semanais e a prefeitura, no período do prefeito Pannunzio, cortou para 15 horas. Um ato ilegal que levou vários médicos a entrarem na justiça pelos seus direitos, conforme estava no edital, o que vai gerar ainda mais prejuízo ao erário.

A Prefeitura, há pelo menos 8 anos, vem sucateando as Unidades de Saúde deixando somente remédios para serem usados. E com um agravante: há anos estão sendo usados os mesmo remédios sem qualquer renovação da grade para remédios mais atualizados e de melhor eficiência para a cura da doença.

A Prefeitura de Sorocaba não reconhece as horas trabalhadas pelos médicos aos finais de semana, ou seja, o médico está na escala e se ficar doente ele não recebe um centavo se quer, pois não tem direito a atestado médico.

A contratação dos pediatras da UPH Zona Leste e UPA do Éden são recém formados , sem nenhuma experiência em pediatria. Posso assegurar, eles estão negligenciando casos absurdos e os erros médicos são frequentes. Vou te falar: há casos de recém-nascidos tratados como adultos, o que é um absurdo e descaso total. E, pior, não tem ninguém que fale sobre isso.

Serviços quarteirizados do BOS (que gerencia a UPH da Zona Leste e UPA do Éden) estão tirando verdadeiras fortunas nesses serviços. E ninguém fala nada.

Aparelhos de urgência e emergência que serviriam para estar em um Museu continuam sendo usados e ninguém fala nada.

O atual prefeito contrata para a chefia de área da saúde um profissional que não tem a mínima noção de saúde pública. E ninguém fala nada.

Trabalhei em várias unidades de saúde de Sorocaba e sei que em todos esses lugares têm pessoas comprometidas com o serviço e com a população, mas os atuais gestores da administração da saúde não dão o mínimo de recursos para que esses profissionais atuem de forma rápida e digna.

Deda, você muitas vezes me pareceu um cara apartidário. Por isso faço esse apelo: vamos colocar essas informações para o conhecimento da população, eu sei que os promotores do Ministério Público ouvem o seu programa e lêem o seu blog. Se eles quiserem a comprovação de tais fatos e só perguntar a qualquer funcionário da saúde de Sorocaba.

Grande abraço.

Por favor não fale meu nome, ainda atuo na saúde de Sorocaba e não gostaria de ser prejudicado. Obrigado. Confio em você.