Sindicato dos Servidores em guerra contra a Prefeitura

Em áudio dirigido à categoria que representa, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba, Salatiel Hergezel, afirma que sua entidade está em guerra contra o prefeito Crespo (guerra essa que, segundo ele, foi declarada pelo prefeito quando assumiu em janeiro de 2017) e que é preciso agir com inteligência a partir de notícia, publicada no Portal Ipanema e de autoria da jornalista Cida Muniz, da intenção de cobrar dos dependentes dos servidores pelo uso do Plano de Saúde do servidor público.

Para o sindicalista, esse projeto tem a missão de desviar o foco da categoria da Marcha Contra a Terceirização agendada para acontecer na quinta-feira, dia 10. Segundo Salatiel, essa marcha “está preocupando muito o governo”. Por isso, conclui o sindicalista, a apresentação desse projeto de contribuição dos dependentes dos servidores neste momento “é tática para tirar o foco da terceirização e levar os servidores a se preocuparem com a Fundação dos Servidores”.

Salatiel explica aos servidores que haverá tempo, depois da Marcha do dia 10, para pressionar os vereadores contra esse projeto de cobrança dos dependentes dos servidores e insiste que a categoria deve focar na marcha.

O que diz o projeto

O Comitê de Consultoria e Fiscalização da Assistência à Saúde dos Servidores e o Conselho administrativo da Funserv (Fundação do Servidores Públicos Municipais), que cuida da aposentadoria e Plano de Saúde dos Servidores e seus dependentes, identificaram os pontos principais do desequilíbrio do sistema e identificaram que 40% do usuário do Plano de Saúde é o dependente do servidor.

Diante disso, o prefeito Crespo encaminhou à Câmara o projeto de lei que altera a assistência à saúde dos servidores públicos municipais, realizadas através da Funserv, para o servidor que ingressar no sistema. Pelo sistema atual, somente o servidor contribui para a Fuserv e os dependentes não. Se aprovado, o dependente também pagará para usar o plano de saúde.

Na prática, a saúde para o servidor público ficará igual para o trabalhador da iniciativa privada.

O que é a Marcha

As diretorias do Sindicato dos Servidores Públicos e da ASPAMS (Associação de Professores da Prefeitura Municipal de Sorocaba) estiveram reunidas na semana alinhando os preparativos para a 2ª Marcha dos Servidores e População, que ocorrerá no dia 10 de maio, a partir das 18h30. O foco neste ano é rebater a terceirização que, na imprensa, ganha mais destaque para a urgência e emergência médica.

No encontro foi reiterado o respeito que as entidades possuem entre si, e que permanecerão unidas por um objetivo comum, que é o fortalecimento da categoria dos servidores e a luta por nenhum direito a menos.

Na semana anterior, o sindicato já havia realizado reuniões com o Sindicato dos Médicos, Comissão das Auxiliares de Educação e representantes do movimento “Vem Pra Luta”, com o mesmo teor, isto é, unidade na luta.

O ponto de partida e o itinerário da marcha ainda não foram divulgados.

Comentários

Leia também