Sindicato é surpreendido com decreto de contenção que corta benefícios dos funcionários da Prefeitura de Sorocaba. Mas “por prefeita ter aberto diálogo ela merece crédito e no momento entendemos ato como satisfatório”, diz presidente

SalatielJaqueSalatiel Hergezel, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba, ficou sabendo por meio da publicação do decreto de contenção de gastos da prefeita Jaqueline Coutinho que houve modificação no que ficou acordado na primeira reunião entre as partes na semana passada. Pode-se dizer que o sindicato foi surpreendido, uma vez que “pra mim era página virada esse tema com o decreto legislativo do vereador França que sustou esse artigo”. Portanto, o sindicato foi surpreendido “sim. O secretário Marinho Marte disse que faria algumas mudanças no decreto, não especificou o que, mas não imaginava que seria isso”.

A prefeita Jaqueline Coutinho manteve uma decisão que vinha em curso desde o começo desde ano, na administração do prefeito cassado, José Crespo: promover a contenção de gastos e isso, diretamente, implica em cortes de benefícios dos funcionários públicos suspendendo a concessão de período de gozo de Licença Prêmio, o pagamento em pecúnia de Licença Prêmio e limitando as horas-extras e horas-suplementares.

Nesta terça-feira Salatiel conversou com Marinho e soube que essa decisão não é definitiva, mas “por período emergencial que vai até dezembro próximo, sendo que os pedidos com justificativas serão autorizadas”.

Perguntei se essa condição era suficiente e Salatiel informou que “diante do prazo para término em dezembro e de que os casos emergenciais serão autorizados e de que todos devem fazer a sua parte, achamos satisfatório aguardar até dezembro”.

Afirmei que esta postura do sindicato agora foi diferente da que teve com o prefeito cassado e quis saber o motivo, em que Salatiel foi curto e objetivo: “Porque há diálogo entre as partes. O sindicato não pertence ao governo. Não indicou ninguém.”

Perguntei a Salatiel: Posso afirmar que SSPMS dá crédito à nova administração? “Sim. Pode afirmar. Hoje sim o sindicato está dando esse crédito à nova administração”.