Só sentimento de não-pertencimento explica isso

A informação da assessoria de comunicação da Prefeitura de Sorocaba, divulgada na manhã de hoje, de que 10% das bicicletas do Projeto Integrabike – que oferece gratuitamente bicicletas aos usuários do sistema da Urbes – Trânsito e Transportes – é alvo frequente de vandalismo em Sorocaba me desperta indagações: Por quê? De onde vêm a motivação das pessoas que estragam as bicicletas?

A única explicação que vejo é que o vândalo, o bandido, não tem o sentimento de que tal objeto público lhe pertence. Ao contrário, vê a bicicleta, o projeto, a sua cidade como não sendo dele, mas de alguém que não lhe representa.

Dados da prefeitura indicam que existem 25 estações (com 12 ou 8 bicicletas em cada uma) do Projeto Integrabike e somente no mês de março 23 bicicletas foram destruídas ou furtadas em ocorrências em sua maioria durante a madrugada.

É importante que a polícia descubra quem está destruindo essas bicicletas e a motivação em destruí-las, pois o projeto é fruto de um contrato da prefeitura com uma empresa que opera o sistema depois de vencer a licitação de mais de R$ 1 milhão por ano. Por contrato, a empresa se vê obrigada a fazer a reforma e reposição destas bicicletas sempre que elas estão sem possibilidade de uso.

É importante que a Guarda Civil Municipal seja capaz de evitar esses ataques. O prejuízo financeiro é real, pesa e deve ser evitado. Porém, mais importante, é entender a cabeça desse vândalo.

E como defensor do Projeto Integrabike desde que o ex-prefeito Vitor Lippi teve a ideia de trazê-lo a Sorocaba depois de viagens que fez a Colômbia e México, onde viu esse sistema funcionando, desejo de verdade que o objetivo dessa divulgação da prefeitura, na manhã de hoje, como disse o secretário de Mobilidade e Acessibilidade e presidente da Urbes, Luiz Alberto Fioravante, seja o de “conscientização da população para que preserve este bem público que ajuda muitas pessoas diariamente”. E não sirva de desculpa preparatória para a prefeitura colocar fim a projeto tão importante.

Comentários

Leia também