Sorocaba celebra dez anos da volta do Carnaval de Rua e com conquistas significativas de infraestrutura para quem desfila e assiste ao espetáculo. Fico feliz de fazer parte desta história

Há dez anos, em janeiro de 2005, assumia o comando da Prefeitura de Sorocaba o hoje deputado federal Vitor Lippi. Ele havia sido apadrinhado em toda campanha pelo prefeito Renato Amary. Eu havia sido coordenador executivo do marketing da campanha de Lippi e fui nomeado diretor de área na pasta de Educação da secretário Terezinha Del Cístia. Nunca fui artista, mas sempre tive ligado a esse universo. Acredito que a arte é o caminho mais transformador, para o bem, de um indivíduo e de uma sociedade. Sou admirador do que faz Danilo Miranda no Sesc. É um exemplo para toda e qualquer cidade do Brasil. Enfim, passadas as festas do final de ano o Brasil passa a viver a expectativa do Carnaval. Em Sorocaba, naquela janeiro de 2005, não foi diferente. Eu que experimentava pela primeira vez a gestão pública senti que havia clima para a volta do Carnaval entre os blocos e escolas da cidade, entre os artistas. Com esse entusiasmo, restava enfrentar o lado político, afinal o novo prefeito, eleito com o aval do antecessor, não tinha disposição em criar problemas. Renato Amary, é importante frisar, sem dinheiro assim que assumiu a prefeitura fez a opção de dar verba ao que era mais urgente e importante e o carnaval, sem dúvida, era algo que podia esperar. E assim Sorocaba ficou sem sua festa de rua. Mas naquele janeiro de dez anos atrás, a secretária Terezinha me disse que eu podia tomar frente no processo e assim foi. A Polícia Militar foi contra. O prefeito não disse sim e nem não. Aliás, como se viu ao longo dos anos que essa é sua maneira de enfrentar os problemas. E levei adiante a idéia. Foi um desfile única de escola, todo mundo junto e misturado, sem fantasia, descendo a rua São Bento. Zezo, Wagner Tibes e José Maria Bessórnia, funcionários de carreira da prefeitura telefonaram para os dirigentes de escolas e blocos. Tivemos uma reunião calorosa no Sorocaba Club e a intenção saiu do papel e ganhou as ruas. Os blocos brilharam. Não houve um problema. Da praia, o prefeito ligou para me dar os parabéns. Ele perdeu esse momento em que a festa mais tradicional de nossa cultura voltou às ruas de Sorocaba. Por isso tudo fico feliz quando vejo que o prefeito Pannunzio e importantes assessores, ladeados pela Polícia, anunciam as novidades da festa deste ano. Será gasto R$ 1 milhão e a promessa de uma infraestrutura compatível com o público que vai ao Parque das Águas. Jaqueline Gomes faz um ótimo trabalho de gestão (ninguém espera mais que isso de um comandante de pasta tão polêmica) e caminha a passos largos para dar a pasta da Cultura (meu xodó, afinal fui um dos que falou muito aos ouvidos de Lippi que ela seria importante para a cidade) o patamar importante de ser um transformador de indivíduos. A sociedade só será melhor com pessoas melhores, ou seja, que leiam, interpretem, se expressem, se mexam e saiam da posição confortável de ficar a frente do que a TV vomita todo dia para eles.

Comentários

Leia também