Sorocaba está anos-luz à frente de um terço do país em tratamento de esgoto

Além do aumento de brasileiros vivendo na pobreza (postagem de ontem neste blog), o SIS (Síntese de Indicadores Sociais) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revela que mais de um terço da população brasileira não tem acesso ao serviço de esgoto – um número estimado de 80 milhões de pessoas.

Segundo a estatística oficial, em 2017, mais de um terço (35,9%) da população tinha restrição de acesso ao serviço de esgotamento sanitário por rede coletora ou pluvial, sendo o estado do Piauí a ter registrado a maior proporção da população com essa restrição, 91,7%.

Esse absurdo número é uma vergonha. E, quando pensamos em Sorocaba, absolutamente contrastante com a nossa realidade onde o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) celebra, conforme dados do diretor-geral do Saae-Sorocaba, Ronald Pereira da Silva, a marca de 96,5% do tratamento do esgoto produzido por toda população sorocabana nas ETEs (Estações de Tratamento de Esgoto). Atendem, não é acesso à rede de esgoto, mas tratamento desse esgoto antes dele ser jogado no rio.

E a busca pela totalidade desse tratamento não pára tendo, por isso, o prefeito Crespo lançado o “Programa 100% Esgoto Tratado do Saae-Sorocaba”, uma meta que não tem prazo para ser concluída, mas cujo os trabalhos estão em andamento como a implementação da rede de esgoto para atender as famílias do bairro Jacutinga, formado por de cerca de mil pessoas, que passarão a ser servidas com rede coletora e de afastamento de esgoto, em substituição às fossas sépticas. “Com o investimento aproximado de R$ 1,5 milhão a nova rede começou a ser instalada em novembro e a expectativa é que sejam concluídos em oito meses”, explica Ronald.

O diretor-geral do Saae-Sorocaba explica que os 3,5% de esgoto que faltam para ser tratado é gerado por famílias que residem em bairros isolados ou que, por dificuldades técnicas ou financeiras, o Saae-Sorocaba ainda não conseguiu atender.

A conclusão é óbvia, Sorocaba está anos-luz à frente de um terço do Brasil que ainda não têm rede de esgoto e muito menos esgoto tratado. O dado do Piauí (91,7% não tem acesso à rede de esgoto) é absolutamente contrastante com Sorocaba onde praticamente toda a cidade têm acesso à rede de esgoto e 96,5% desse esgoto é tratado.

Comentários

Leia também