Casa Civil quer sensibilizar Sorocaba a receber refugiados vindos da Venezuela

Representantes do Ministério da Casa Civil da Presidência da República estiveram em Sorocaba na tarde de hoje – e continuam na manhã desta quinta-feira – para apresentar o Plano de Assistência Emergencial aos Imigrantes Venezuelanos que vêm em massa daquele país ao Brasil via a fronteira de Roraima.

Após o ordenamento da fronteira e qualificação dos venezuelanos, estima-se que mais de 32 mil pessoas manifestam o desejo de vir ao Brasil sendo que desse total 80% tem o desejo de ficar aqui em asilo político ou refugiado.

Para abrigar essa nova população, com dignidade, os representantes da Casa Civil estão percorrendo o Brasil – no estado de São Paulo já estiveram em São José dos Campos e agora em Sorocaba – com o objetivo de sensibilizar as cidades que possuem condições de receber essa população, em especial os representantes dos setores produtivos.

Por isso, na tarde de hoje, foram chamados ao encontro, atenderam ao convite e estiveram presentes na sede do Sebrae para essa reunião de articulação os representantes do comércio (Associação Comercial de Sorocaba); Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo); Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas); CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano); Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados); Agência da Região Metropolitana de Sorocaba; Prefeitura de Sorocaba (representada pelas secretarias de Cidadania e Participação Popular e Igualdade e Assistência Social); além da Polícia Federal e a própria Casa Civil da presidência da República. Nenhum representante da Câmara de Vereadores esteve presente no encontro.

Na manhã desta quinta-feira, desta vez na sede do Ciesp, os representantes vão participar do seminário sobre a Nova Lei da Migração do Brasil que garante a quem aqui é recebido os mesmos direitos de um brasileiro nativo.

No último grande movimento migratório para o Brasil, quando milhares de haitianos deixaram seu país e vieram para cá, Sorocaba acolheu pelo menos 3 mil deles que foram acolhidos como pedreiros e ajudantes na construção civil e garçons em bares e restaurantes da cidade.

O tamanho do drama

Para se ter uma idéia do problema vivido pelos venezuelanos, no prazo de 1 ano, 72,7% de cada cidadão da Venezuela perdeu em média 8,7 quilos e 15% das crianças estão abaixo da faixa de peso ideal. Num comparativa, em 2009, estavam abaixo do peso ideal 3% da população do vizinho país.

FOTO: Luiz Coimbra, funcionário da Casa Civil, durante encontro em Sorocaba, expõe Plano de Assistência Emergencial aos Imigrantes Venezuelanos

Comentários

Leia também