Sorocabano ganha Prêmio de Jornalismo Latino-Americano

O sorocabano Mário Cesar Carvalho – repórter especial da Folha de S.Paulo, jornal onde trabalha desde 1984 – ao lado de Flávio Machado Ferreira e Rogério Pagnan ganhou o mais prestigiado prêmio de jornalismo latino-americano com uma série de reportagens sobre como as empreiteiras negociaram propina para interromper as investigações sobre o buraco da linha 4 do Metrô, na capital paulista, que matou 7 pessoas em 2007. O prêmio é oferecido pelo Instituto Periodismo y Sociedad e pela Transparência Internacional, a ONG anti-corrupção. “O resultado foi espetacular: ficamos com o terceiro prêmio, atrás de uma reportagem sobre impunidade a violação sexual em meninas de 10 a 14 anos em El Salvador, do site El Faro, e uma investigação sobre como militares são os principais fornecedores do governo bolivariano da Venezuela por meio de laranjas. Prêmio é sempre meio besta, porque jornalismo não é corrida de cavalo, mas dá uma sensação de dever cumprido”, externou Mário César em sua página pessoal no Facebook.

Mário César fez carreira na Folha até chegar ao prestigioso cargo de Repórter Especial. Ele estudou Jornalismo na ECA (Escola de Comunicações e Artes) da USP (Universidade de São Paulo) e, em Sorocaba, no antigo CTI (Colégio Técnico Industrial), hoje a Etec (Escola Técnica Estadual) Rubens de Faria e Souza, vizinho da estação rodoviária.

Nunca homenageado em Sorocaba, sua terra natal, Mário César mantém amizade com outros sorocabanos ilustres como Cláudio Oliveira, que foi editor responsável pelo jornal Cruzeiro do Sul. Na adolescência, Mário César era amigo de Benê de Oliveira, o Benão, grande diretor de teatro.

Comentários

Leia também