Sorocabanos são alvos de operações da Polícia Federal e Receita Estadual

Sorocaba foi alvo de duas operações de caráter investigativo entre ontem e hoje, movimentando os bastidores da cidade. Primeiramente, os alvos foram sonegadores de impostos estaduais, na terça-feira. Hoje foi a vez da investigação buscar sorocabanos que poderiam colocar em risco a eleição de domingo que vem.

Crime eleitoral

A Polícia Federal realizou a Operação Olhos de Lince de combate a crimes relacionados às eleições deste ano em diversas cidades brasileiras na manhã de hoje, entre elas Sorocaba. A ação é resultado do acompanhamento das redes sociais e teve o objetivo de identificar ameaças aos candidatos que concorrem nas eleições de domingo.

Sem dar nomes até o meio da tarde, a Polícia Federal explicou que viu nas cidades investigadas, como Sorocaba, o risco de violação do sigilo do voto e de incitação ao crime de homicídio. Segundo investigadores, para a identificação dos alvos foram utilizadas técnicas de reconhecimento facial, por meio de critérios científicos, que possibilitam a identificação dos suspeitos de forma precisa.

Sonegação de ICMS

Três estabelecimentos de Sorocaba e dois de Porto Feliz foram alvos da Operação 4×4 da Secretaria da Fazenda que ocorreu simultaneamente em 39 municípios do estado de São Paulo. O trabalho contou com 100 agentes fiscais realizando verificações em 187 contribuintes paulistas suspeitos de sonegação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que pode chegar a R$ 815 milhões em operações interestaduais nos últimos três anos. Os nomes dos locais não foram divulgados.

O trabalho de monitoramento do Fisco paulista verificou que as empresas-alvos da operação, que movimentaram R$ 37 bilhões desde 2016, estariam utilizando indevidamente a alíquota interestadual reduzida de 4% e gerando prejuízo aos cofres paulistas. O correto seria a aplicação de uma alíquota de 7% ou 12% — a depender do Estado de destino das mercadorias.

Comentários

Leia também