Temer se nega a renunciar, mas entendo que só por enquanto

TemerJBSNa coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) na manhã de hoje (19/05) afirmei que um governo está calcado em um tripé: econômico, político e social. O flagrante em que o presidente foi pego (a gravação é prova cabal, ao contrário da acusação feita por um terceiro) deixou-o sobre o pé social (não se viu comoção alguma de pessoas lotando as ruas, ao menos até o momento) e econômico, graças ao chamado “mercado” formado por lideranças líderes políticas, empresariais, de parte da mídia que se incumbiram de minimizar a gravidade da gravação. Nas redes sociais um exército de “voluntários” tenta convencer alguém de que nada aconteceu, que o gravado não é grave, que Temer foi infantil, que ele tinha a voz tímida e blá-blá-blá. Mas o terceiro pé, o político, este quebrou.

Justamente sem o seu maior talento (convencer políticos a fazer o que ele liderapara que seja feito), mesmo tendo dito que não vai renunciar, ainda acho que é apenas uma situação momentânea essa, que pode, sim, se alastrar até 2018, ficando Temer como um figurante de um governo que passaria a ser comandado por HenriqueMeirelles, o homem forte da economia.

Mas, é provável, a saída de Temer seja mais rápida. Até o jornal O Globo, da família Marinho, dona da Rede Globo de TV, já tem essa opinião, a de que Temer deve renunciar. Em editorial publicado on line há instantes, por volta das 16h, o jornalpede a renúncia do presidente: “Um presidente da República aceita receber a visita de um megaempresário alvo de cinco operações da Polícia Federal que apuram o pagamento de milhões em propinas entregues a autoridades públicas, inclusive a aliados do próprio presidente. O encontro não é às claras, no Palácio do Planalto, com agenda pública. Ele se dá quase às onze horas da noite na residência do presidente, de forma clandestina. Ao sair, o empresário combina novos encontros do tipo, e se vangloria do esquema que deu certo: “Fui chegando, eles abriram. Nem perguntaram o meu nome”. A simples decisão de recebê-lo já guardaria boa dose de escândalo. Mas houve mais, muito mais…” Leia em https://oglobo.globo.com/opiniao/editorial-renuncia-do-presidente-21365443#ixzz4hYU77DyZ