Um Amary na eleição. Não, dois

Válter José Nunes de Campos, chefe de gabinete da deputada estadual Maria Lúcia Amary, foi eleito por aclamação, em chapa única, com 118 votos, o presidente do diretório municipal do PSDB de Sorocaba, na sexta-feira passada.

Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Sorocaba e ex-secretário de Cidadania da Prefeitura de Sorocaba na gestão de Renato Amary, Válter José foi dirigente do Sindicato dos Bancários da região e é tido como um dos mais habilidosos formadores de grupos partidários e políticos da cidade.

Com a presença da deputada, do presidente que deixou o comando da legenda (João Leandro) e dos três vereadores do PSDB (Engenheiro Martinez, Anselmo Neto e João Donizeti) – e com as ausências do ex-deputado Pannunzio e do atual deputado Vitor Lippi) – a eleição se transformou numa festa tucana: “Precisamos fortalecer o PSDB em Sorocaba, oxigenar o partido, priorizando a participação das mulheres e dos jovens, para que em 2020 tenhamos uma chapa de vereadores à altura do PSDB, bem como um forte candidato à Prefeitura de Sorocaba”, disse Valter José.

Esse forte candidato já tem sobrenome: Amary. Resta saber o nome.

A princípio o nome é da deputada Maria Lúcia, mas poderá vir a ser também o de Flávio, secretário estadual de Habitação.

Em que pese a ruptura pessoal (não apenas partidária) do seu pai (o ex-prefeito e ex-deputado Renato Amary), Flávio mantém um cordial clima de amizade com Maria Lúcia desde o tempo em que ela foi casada com seu pai e depois que se separaram. E essa cordialidade será preservada na definição do candidato tucano à prefeitura de Sorocaba. Por isso afirmo, não terão dois Amarys concorrendo. Apenas um e no momento esse um é da deputada estadual Maria Lúcia. Inclusive, ela tem já firmado e declarado o apoio do deputado federal e ex-prefeito Vitor Lippi quando a campanha de fato começar.

Comentários

Leia também