Um ex-prefeito elegeu Crespo; outro ex-prefeito o mantém no cargo

O candidato a prefeito de Sorocaba, com franco favoritismo, na eleição de 2012 era Renato Amary, mas na reta final perdeu para Pannunzio por uma pequena margem em razão de uma somatória de fatores.  Em 2016, novamente, Renato tinha o favoritismo e questões judiciais fizeram com que ele entendesse que deveria abrir mão de concorrer e escolheu o então candidato à reeleição de vereador, José Crespo. E coube a Raul Marcelo (PSOL), em entrevista à coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91.1Mhz), analisando sua derrota no 2º turno sentenciar o fator da vitória de Crespo: o sorocabano queria votar no Renato. E em 2016 o slogan martelou: “Sou Renato, sou Crespo”.

A eleição de Crespo, desse modo, se deu em razão do empenho e marketing da campanha enfatizando que esse era o desejo de Renato Amary.

Na manhã de hoje, quando ficou sacramentado que Crespo segue no cargo de prefeito, o que se vê é um Crespo devedor de um outro ex-prefeito de Sorocaba, Flávio Chaves, seu secretário de Relações Institucionais. Ele levou cada um dos vereadores ao prefeito na noite de segunda-feira – tanto que Crespo e Flávio saíram do Paço era já na primeira hora desta terça-feira – e assumiu o compromisso de resolver os problemas e tocar o projeto que pretende implementar na cidade.

Flávio Chaves, com sua experiência, tem a chance de dar a estabilidade que qualquer prefeito precisa para governar. Até a votação de hoje, Crespo estava com a corda no pescoço. Seu desafio, agora, é não colocar novamente a corda em seu pescoço e permitir que Flávio Chaves construa o respeito necessário entre os poderes.

Evidentemente que Flávio precisa – como teve – a parceria de colegas de outras pastas, muitos apenas técnicos e não políticos. Será necessária sabedoria para manter o sucesso até o final do mandato.

Comentários

Leia também