Vereador é denunciado por acusar assessora de troca de favor sexual

O vereador Hudson Pessini, namorado da vice-prefeita Jaqueline Coutinho, está sendo denunciado no Conselho Municipal da Mulher pela ex-assessora do prefeito Crespo, Tatiane Pólis, de sexismo (ato de discriminação, quando se reduz alguém pelo gênero ou orientação sexual).

“Recentemente recebi uma mensagem de áudio via whatssap enviado por pessoa desconhecida em que o vereador Hudson Pessini, em reunião realizada em seu gabinete com assessores e amigos diz o seguinte: ‘apesar que a Tati Pólis deve fazer uma chupeta do caralho, o Dini já não; ou o Dini faz também, aquele beição dele também deve fazer uma chupeta boa, aquele beição dele deve fazer uma babeta legal.”

Relações imbricadas

Importante lembrar que Tatiane Pólis foi acusada por Jaqueline Coutinho de ter diploma falso de Ensino Médio e, portanto, não poderia ser secretária do prefeito. Em razão dessa acusação, o prefeito brigou com a vice e dessa briga nasceu a cassação do mandato do prefeito num processo liderado por Hudson Pessini. Mais de que isso, todos (Crespo, Jaqueline, Hudson e Tatiane) participaram ativamente da campanha que elegeu Crespo e desde aquela época havia um atrito entre Hudson e Tatiane.

Para vereador é fato político

“Mas mais uma vez, num mundo de gigantes atos improbos continuam pinçando atos obtidos de uma conversa entre amigos para tentar causar desgastes. Vou aguardar. Na minha opinião, o que falo em público respondo em público… Oque falo entre ‘amigos’ não cabe manifestação pois estarei fazendo o joguete deles… Tentam desviar o foco dos reais escândalos da semana”, me afirmou Hudson Pessini.

Ou seja, ele deixa claro seu desconforto em ter sido gravado em seu gabinete quando achava que nele estavam apenas amigos de verdade e não falsos amigos que o gravaram.

E mais do que isso: ele deixa claro que entende a denúncia de Tatiane Pólis não foi uma iniciativa dela, enquanto pessoa, mas do governo.

Para Conselho não é fato político

A presidente do Conselho Municipal da Mulher, a advogada Emanuella Barros, que tem forte atuação profissional na defesa e combate à discriminação contra as mulheres, me disse que a denúncia de Tatiane Pólis será tratada pelo conselho de forma técnica que a denúncia exige, sem levar em conta as desavenças políticas que existe entre as partes em seus campos ideológicos e partidários.

A denúncia é séria, será analisada pelo plenário do Conselho das Mulheres, não vai prevalecer minha opinião de presidente, mas do colegiado, me explicou Emanuella Barros. Para ela, combater o sexismo é o dever da sociedade. “Acredito que nem o vereador Hudson e nem a Tati gostariam de estar nessa posição, mas ela existe e será uma oportunidade para se debater o machismo na sociedade, que infelizmente existe,” me disse a presidente do Conselho da Muljer.

O teor, mas especialmente o tom da fala do vereador no áudio de WhattsApp que circulou entre vários grupos, revoltou várias mulheres. Muitas, inclusive, chegaram a perguntar aos seus maridos, namorados e companheiros se eles também falam desse jeito (referência ao tom, e claro que também conteúdo, do que é atribuído ao vereador) quando estão somente com eles.

Muitas dessas mulheres que receberam o áudio se perguntaram, também, qual o posicionamento da vice-prefeita, Jaqueline Coutinho, que antes de se aposentar foi titular da Delegacia de Defesa da Mulher de Sorocaba a respeito do tom e teor da fala do seu namorado, o vereador Hudson Pessini.

Vereador citado releva

O vereador Fernando Dini, citado na gravação pelo seu colega de partido de também fazer sexo oral no prefeito – numa explícita interpretação de Dini ter se mantido aliado do prefeito Crespo e não agindo como da oposição, como o caso de Hudson Pessini – entende que não deve valorizar essa questão. Ele se limitou a dizer: “segue o curso normal”, ou seja, o que o seu colega de partido pensa dele pouco lhe afeta.

Quebra de decoro e justiça

Vale lembrar que a Comissão Processante que concluiu pela cassação do mandato do prefeito Crespo em 2017 assim o fez por concluir que houve quebra de decoro por parte do prefeito em sua discussão com a vice, também numa sala fechada, de um ambiente público, que é o prédio da prefeitura.

Como a conversa gravada do vereador ocorreu dentro do seu gabinete, a interpretação é que ele também está numa posição passível de ser acusado de quebra de decoro e enfrentar as consequências dessa acusação que, em última instância, poderá ser a cassação do seu mandato.

Além disso, pelo que ouvi, não será de se estranhar se houver no âmbito da justiça alguma ação por parte da ex-assessora, que se revela ofendida pela fala do vereador.

O que chegou ao Conselho da Mulher

DIGNÍSSIMA SENHORA PRESIDENTA DO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA MULHER DE SOROCABA/SP.

Eu, TATIANE REGINA GÓES PÓLIS, (vem toda sua qualificação), venho perante esse zeloso CONSELHO MUNICIPAL DA MULHER expor o que segue:

Tal como é público, atuei em cargo comissionado junto ao gabinete do Prefeito Municipal de Sorocaba, de cujo cargo pedi exoneração em julho de 2017 em razão de perseguições políticas e denúncias falaciosas.

Desde então passei a sofrer ataques e discriminações, sobretudo de natureza sexista e machista, com insinuações de que prestava favores sexuais ao Prefeito José Crespo, vindo a saber que a criação de memes e de “piadas” machistas e discriminatórias partiam de algum vereador de oposição ao governo José Crespo.

Recentemente recebi uma mensagem de áudio via whatssap enviado por pessoa desconhecida em que o vereador Hudson Pessini, em reunião realizada em seu gabinete com assessores e amigos diz o seguinte: “apesar que a Tati Pólis deve fazer uma chupeta do caralho, o Dini já não; ou o Dini faz também, aquele beição dele também deve fazer uma chupeta boa, aquele beição dele deve fazer uma babeta legal.”

Ao que se pode perceber o vereador Hudson Pessini atribui a mim a prática de sexo oral em favor do Prefeito José Crespo, que esse seria o motivo pelo qual o Prefeito teria nomeado a mim, uma mulher, como sua assessora, desprezando e subjugando a capacidade da mulher de alcançar um cargo de confiança e de destaque.

Ressalto que sou casada, tenho 3 filhos, minha origem é de família pobre, da periferia de Sorocaba, superei diversas dificuldades e ingressei no meio político em razão de minha atuação em entidades assistenciais, pelo reconhecimento do meu trabalho comunitário.

Levo esse fato grave, sexista e machista praticado pelo vereador Hudson Pessini ao conhecimento desse valoroso Conselho da Mulher exclusivamente por me sentir aviltada na minha condição de mulher, trabalhadora, mãe, que sofre as agruras diárias de quem é vítima de achaques machistas por alcançar uma posição de destaque. Entendo que essa prática do vereador Hudson Pessini revela um ataque a todas as mulheres que igualmente são subestimadas pela figura masculina que, na falta de argumentos, subjuga a mulher por sua condição sexual, evidenciando o machismo enraizado, especialmente nos homens que exercem poder.

Tenho consciência que denunciar fatos desta natureza me fazem reviver as dores de quem é vítima desse desrespeito, desse crime que permeia as entranhas da sociedade e de gabinetes de quem deveria representar a população, me criam um constrangimento ainda maior, mas tenho a certeza que é somente desta maneira, trazendo ao conhecimento de entidades representativas dos direitos da mulher é que iremos marchar para a igualdade.

Sinto-me humilhada publicamente com a fala do vereador Hudson Pessini no ambiente da Câmara de Vereadores que está sendo disseminada em grupos de whatsapp em razão da minha condição de mulher e acredito que o mesmo sentimento deve agonizar as todas as mulheres que se encontram na mesma situação.

A mulher, definitivamente, não pode mais ser achacada por homens em razão da sua condição feminina; eu não posso aceitar que o vereador dissemine numa Câmara de Vereadores que uma mulher só alcança uma posição profissional porque faz “chupeta” para o chefe.

Em razão do relatado, considerando a finalidade do Conselho da Mulher, preconizado na Lei n. 11.598/2017, especialmente nos artigos 2o, 3o, incisos V e IX, apresento esta DENÚNCIA para que sejam adotas as providências legais para defesa da MULHER por entender que a fala do vereador Hudson Pessini no ambiente da Câmara de Vereadores é uma ofensa direcionada a todas as mulheres.

Sorocaba, 12 de julho de 2018

Tatiane Regina Góes Pólis

Comentários

Leia também