Vereador Engenheiro Martinez mostra que na Câmara quem manda prender e manda soltar é ele. E mais ninguém

MartinezForte

Recordista no cargo de presidente da Câmara de Vereadores de Sorocaba onde já sentou no principal posto por sete mandatos, o vereador Engenheiro Martinez quase foi o candidato do PSDB à Prefeitura de Sorocaba em outubro passado e quase foi o secretário de Relações Institucionais e Assuntos Metropolitanos do governo Crespo. E quase porque nas duas situações ele desistiu de ocupar os cargos em questão. Sempre, oficialmente, as razões são de ordem pessoal.

Mas o que ficou evidente na votação da Reforma Administrativa do prefeito Crespo, aprovada hoje na Câmara de Vereadores, é que as coisas acontecem do jeito que o vereador Engenheiro Martinez quer. Se havia alguma dúvida de quem manda prender e soltar, como se diz na fala popular para quem tem grandes poderes, especialmente o de articulação, dentro do Poder Legislativo sorocabano era o vereador Engenheiro Martinez, essa dúvida acabou hoje com a colocação dez emendas em debate, sendo que a eliminação de 70 cargos (para quem tinha o nível de escolaridade Ensino Fundamental com salário de R$ 4.8 mil e Ensino Médio com R$ 6.9 mil) foi a principal delas.

Crespo, autor do projeto, queria esses 70 cargos. O Ministério Público (leia a outra postagem) não. A Secretaria Jurídica da Câmara (a titular, Márcia Pegorelli, é fiel escudeira de Martinez) também não. E o vereador Engenheiro Martinez é um homem que decide o que fazer baseado no Ministério Público e literalmente ele fez essa afirmação ao jornalista Gustavo Ferrari do Portal Ipanema. Martinez não faz nada contra o MP, nem mesmo ficar longe da polêmica. Ele entrou no meio do projeto, articulou a retirada dos 70 cargos condicionando a aprovação de todo o restante do projeto e fez do jeito dele.

Está mais claro do que nunca, vereador ou prefeito que quiser se dar bem na Câmara tem que ter Martinez como aliado.