Vereador fala muito e mexe com os ânimos da Polícia Civil e Prefeitura de Sorocaba. Ele deverá ser interpelado judicialmente para explicar o que disse

O vereador Crespo (DEM) na semana passada, durante sessão da CPI da Saúde da Câmara de Vereadores, usou de sua imunidade parlamentar e atacou duramente o provedor da Santa Casa de Sorocaba, falando sobre temas que chegaram a chocar algumas pessoas como o fato de ter duas amantes sustentadas com dinheiro público e dos filhos usufruindo do dinheiro público.
Convidado para tratar desses temas na coluna “O Deda Questão” que apresento na rádio Ipanema (FM 91,1Mhz) o vereador não apenas repetiu isso, como falou mais e dessa vez contra a administração do prefeito Pannunzio. Primeiramente afirmou que a Prefeitura foi conivente com a Santa casa em atrasar a auditoria sobre as contas da irmandade. E o pior de tudo que há uma quadrilha dentro da Prefeitura de Sorocaba.
O secretário de governo da Prefeitura de Sorocaba, João Leandro da Costa Filho, ocupou o mesmo espaço do vereador e rebateu cada uma das críticas com ironia e uma rara fineza entre os homens públicos: “Não faz jus à sua experiência de deputado estadual e nem de vereador. O vereador foi imprudente, para não dizer outra coisa. Quando a auditoria ficar pronta, com certeza absoluta ele poderá tecer todos os seus comentários com ações concretas”, afirmou João Leandro.
Quanto à fala de Crespo de que teriam “quadrilhas” agindo dentro e fora da prefeitura, João Leandro solicitou ao vereador que citasse nomes a respeito de possíveis envolvidos neste esquema. “O vereador extrapolou de seu poder de imunidade. Ele coloca sob suspeita toda a equipe do prefeito, que conta com 15 mil servidores, além dos secretários. Então, seria bom e correto por parte do vereador citar estes nomes. A formação de quadrilha é um crime tipificado no código penal. E, como vereador, ele tem este dever citar os nomes”, criticou.
Tanto a Prefeitura de Sorocaba, quanto o titular da Deinter-7, delegado Júlio Guebert, solicitaram à rádio Ipanema cópia da íntegra da entrevista de Crespo. O objetivo da Prefeitura é o de interpelar Crespo judicialmente para que prove o que falou. Já a Polícia quer que o vereador dê mais elementos sobre a acusação que fez para que se possa iniciar um trabalho de investigação.