Vereador licenciado para exercer cargo de secretário usa fábula de tartarugas para explicar o momento em que se encontra o conflito entre prefeito e vice

AnselmoO vereador Anselmo Neto, que está licenciado de sua função legislativa para exercer o cargo de secretário municipal de Relações Institucionais e Metropolitanas, durante entrevista no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) na manhã de hoje usou de uma fábula (recurso da literatura para se fazer metáforas) para explicar o momento do conflito entre o prefeito Crespo e a vice-prefeita Jaqueline Coutinho.

Na fábula contada pelo secretário, existia uma montanha e para passar de um lado a outro dela havia um túnel. De um lado havia uma tartaruga e do outro outra. O túnel era estreito e só passava uma de cada vez. Elas se encontraram no meio do túnel e nenhuma delas andava para trás e não havia espaço para uma passar pelo lado da outra. Num dado momento, uma tartaruga disse: vamos morrer. A outra, desolada, concordou: pois é, vamos. E o tempo foi passando. Até que uma das tartarugas decidiu se abaixar, entrando dentro do seu casco, e a outra passou por cima. Moral da história: se uma tartaruga não fosse humilde, as duas teriam morrido, e a humildade salvou as duas. Ou seja, seja o prefeito ou a vice a se dobrarem, o que será valorizado é o ato de salvarem os dois.

No momento, o prefeito não reconhece nem que há problema, apenas incidente, o que torna quase impossível que ele seja o humilde da história. A vice-prefeita, por sua vez, afirmou que espera que o prefeito se dirija a ela uma vez que ela não fez nada de errado e, portanto, quem fez (o prefeito) é quem deve agir.

Com o passar do tempo, estando certa a fábula, sem que um dos lados seja humilde, ambos vão morrer. Resta saber como. De verdade, espero que seja apenas uma morte metafórica e que ninguém perca de fato o controle.