Vereadores sofrem pressão e reajuste dos próprios salários passou a ser incômodo para a maioria deles. Sem o aumento dos 13 mil funcionários da Prefeitura, PSOL já voltou atrás. Outros devem seguir a mesma linha

FernandaGarciaOs vereadores de Sorocaba, em decisão conjunta conforme frisou o presidente da Câmara Municipal, Rodrigo Manga, decidiram apresentar uma proposta de correção salarial de 6,29% para seus 250 funcionários, além dos próprios 20 vereadores, retroativo a novembro. A reposição salarial foi calculada com base no IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de 2016. A proposta inicial era que o reajuste fosse retroativo ao começo do ano, já que o Legislativo tem dinheiro para isso. Mas os próprios vereadores acharam exagerado e toparam, todos, que valesse a partir de novembro.

Mas. E sempre esse mas complica tudo, os quase 13 mil funcionários atrelados ao Poder Executivo não tiveram nenhum reajuste e certamente, com sucesso, terão a reposição da inflação desse ano apenas a partir de janeiro. Sindicato e Prefeitura negociam nesse sentido e não há luz no fim do túnel.

O fato é que esse aumento diferenciado entre servidores (os da Câmara sendo beneficiados e os da Prefeitura não), mesmo sem ter sido aprovado, já criou um impasse e os vereadores são identificados os responsáveis. Em grupos de whattsapp é crescente as manifestações para que os vereadores sejam pressionados a mudar de posição.

E isso fica evidente, pelo o que percebo, no depoimento gravado em vídeo pela vereadora Fernanda Garcia do PSOL. Ela havia concordado com o aumento, mas reviu sua posição. Segundo ela, “enquanto não houver aumento de salário para os funcionários da prefeitura ela propõe que também não haja para os vereadores”.

Um amigo do PSOL me diz que a decisão da vereadora de apoiar o aumento criou um mal-estar tremendo para ela dentro da legenda a ponto de tamanha pressão ter levado ela a mudar de posição. Assim, a proposta encaminhada nesta tarde de segunda-feira pela vereadora, solicita, em solidariedade aos servidores públicos da prefeitura, a desvinculação dos vereadores à reposição dos servidores da Câmara, mantendo esta reposição apenas para os servidores da Câmara, vinculando a reposição dos vereadores e das vereadoras com a proposta de reajuste para os servidores públicos da prefeitura.