Fã-clube de ladrão

Os bolsonaristas começaram na sexta-feira a compartilhar nas redes sociais (eu recebi no WhatsApp e Facebook) uma frase atribuída ao ministro da Economia Paulo Guedes: “Ladrão tem no mundo todo, mas fã-clube de ladrão só tem no Brasil”.

Eu costumo ignorar os bolsonaristas, pois a estética e a ética deles são tão diferentes das minhas que não me irritam mais.

Dessa vez foi diferente. Não pela mentira sobre fã-clube e afins, mas pelo desprezo com a verdade de um monstro chamado inflação.

Minha resposta a eles foi: Deve estar falando dele próprio e do capitão. Não existe roubo maior do que eles tão fazendo com o assalariado. Em 2019, inflação 4%. Hoje, 11%. Quer roubo maior que esse?

Não existe!

Uma família que consegue chegar ao fim do mês com a gasolina de todos os carros da casa paga, com todo vinho, uísque e cerveja pagos, com todo arroz, feijão, carne, café, leite, pão… pagos. Com o condomínio (o proprietário não paga aluguel, aluga) em dia… enfim, e ainda sobra 1 real para ele no começo do mês seguinte, essa família somou esse 1 real mais 10 centavos para sua poupança.

Agora, a família que chega ao fim do mês e começa o seguinte devendo 1 real, ela deve 1,10. Imaginem esse déficit mês a mês…

Portanto, o maior ladrão do cidadão é a inflação. É sorrateira. Rouba em silêncio. E, pior, faz o roubado se sentir incompetente por não estar conseguindo cumprir com o básico de suas obrigações. Ou seja, além de roubar o dinheiro, também rouba a autoestima, moral e sanidade mental.

Paulo Guedes, não sei se você disse a tal frase. Pouco me importa uma vez que ela foi compartilhada pelo seu time. É de um cinismo sem tamanho achar outro candidato mais ladrão que Bolsonaro. Sim, Bolsonaro é o maior ladrão pois foi sob o comando dele que a inflação pulou de 4% para 11%.

Repito, é o terror de uma bola de neve mês a mês privando o assalariado de comer o que se tem vontade. Não digo nem um outro item da vida, falo do básico, comer.

Um presidente incapaz de controlar a inflação diante da realidade que encontrou (pandemia e guerra), incapaz de cuidar do assalariado, não merece seguir.

PS – Abro os jornais de hoje e qual a manchete de todos? O mês de março registrou a maior inflação do Brasil nos últimos 28 anos. Um fato para apenas certificar o que estava dizendo. A “classe média”, que não se acha pobre e, mais louco de tudo, se acha rica, começou a sentir no bolso a verdade que os mais pobres sentem nos últimos anos. Já que não teve empatia pelo mais miserável, que sentindo no bolso essas pessoas se indignem nas urnas.

Comentários

Leia também