Autor: Djalma Luiz Benette

Raul, Maria Lúcia e Jaqueline, os campeões de voto a estadual em Sorocaba

Como faz há, o professor Flaviano Agostinho de Lima, ex-secretário municipal de Educação da Prefeitura de Sorocaba e especialista em estatísticas, planilhas e pesquisas, reúne os números da eleição que ajudam a sociedade entender o momento e o sentimento do eleitorado sorocabano a cada votação.

Do ponto de vista da eleição a deputado estadual, levando em conta as 15 candidaturas registradas por diretórios locais, é possível verificar a preferência do eleitor de Sorocaba por dois nomes tradicionais – Raul Marcelo e Maria Lúcia Amary – e pelo reconhecimento do eleitor pelo trabalho da jovem política Jaqueline Coutinho que, eleita vice-prefeita, logo na primeira vez que se candidatou, ganhou notoriedade a partir das sucessivas atrapalhadas do prefeito Crespo em a atrito com ela, o que levou ele a perder o mandato e deixá-la por 43 dias no cargo de prefeita de Sorocaba.

Assim, Raul Marcelo – mesmo não sendo reeleito deputado, em razão do número de cadeiras do seu partido na Assembleia – é o preferido de 10% dos eleitores que foram às urnas, ou seja, por 32.459 sorocabanos. Maria Lúcia Amary vem em seguida com 9,20% da preferência dos eleitores, ou seja, de 29.806 votantes. Na terceira colocação está Jaqueline Coutinho que ficou com 7% dos votos, ou seja, com a preferência de 22.754 eleitores, ou seja, mesmo sendo votos insuficientes para a sua eleição uma vez que ela ficou em quinto lugar entre os candidatos do seu partido, demonstram o quanto é querida pela parcela do eleitorado que votou nela.

Os votos de cada um dos outros 12 candidatos de Sorocaba podem ser vistos no quadro que acompanha esse texto.

Prefeito 2020

Os votos confiados a Raul, Maria Lúcia e Jaqueline colocam cada um deles no pleito de 2020, na eleição a prefeito, em condições de concorrer em pé de igualdade. A derrota de Raul e Jaqueline, que não conseguiram ser deputado, o que é ruim hoje, se transforma num trunfo para a eleição de 2020, uma vez que não precisarão explicar ao eleitor a desistência de um mandato para concorrer a outro. E, pelo que se vê na eleição para governador, isso tem forte peso neste momento diante do bombardeio que Dória, que renunciou ao cargo de prefeito de São Paulo, está recebendo. O desafio de Raul e Jaqueline, sem mandato, nos próximos dois anos, é o de conseguirem ficar em evidência na memória do eleitor. Jaqueline, apesar de vice, está rompida com o prefeito, ou seja, está sem espaço para aparecer.

A qualificação dada nas urnas aos três estaduais tem ainda o peso da concorrência entre os candidatos que disputaram a federal (veja a próxima postagem), do próprio candidato do prefeito (que deve buscar a reeleição e tem o peso da máquina), além da pulverização de votos entre outra provável dezena de candidaturas uma vez que não haverá coligação de partidos para as candidaturas a vereador e, um candidato a prefeito, sempre ajuda quem busca vaga no legislativo.

Lippi reina sozinho na preferência do eleitor sorocabano a deputado federal

Os números coletados pelo professor Flaviano Agostinho de Lima da votação no colégio eleitoral de Sorocaba a deputado federal (leia na postagem anterior os dados da eleição a deputado estadual) demonstram que o ex-prefeito Vitor Lippi, reeleito para o seu segundo mandato como deputado federal, segue reinando sozinho entre os eleitores sorocabanos.

Ele ficou com 18,79% dos votos, ou seja, com 61.994 votos, o triplo do vereador Vitão do Cachorrão que ficou com 5% dos votos (escolhido por 16.801 sorocabanos) e do ex-vereador Izídio de Brito, ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, que ficou com 4,87% dos votos (escolhido por 16.069 sorocabanos).

Os votos de cada um dos outros 12 candidatos a federal de Sorocaba podem ser vistos no quadro que acompanha esse texto.

Prefeito 2020

O resultado da eleição deste ano deixa evidente o favoritismo de Lippi, na largada de uma corrida eleitoral, numa eventual decisão sua de vir a concorrer a prefeito em 2020, levando em conta não apenas quem concorreu agora a federal, como ele, mas também quem buscou vaga na Assembleia Legislativa (veja a portagem anterior).

Obviamente que questões pessoais, e de contexto social do momento da futura eleição, quando terão se passados dois anos do novo presidente no comando do país, terão influência na decisão das candidaturas. Mas que o resultado de agora é um termômetro para a próxima eleição, isso é. Historicamente é.

Eleitor dobra o número de voto dado aos candidatos de fora de Sorocaba

Nas estatísticas do professor Flaviano Agostinho de Lima outros dados ajudam a entender o resultado da eleição e a compreender o sentimento do eleitorado sorocabano na votação de duas semanas atrás.

O colégio eleitoral aumentou nesse ano comparado com a eleição de 2014 em Sorocaba, mesmo com mais de 80 mil eleitores não fazendo o cadastro de sua biometria, ficando impedidos de votar: Foram 446.117 eleitores em 2014 e 458.763 em 2018.

As abstenções, ou seja, o número de eleitor que faltou no dia da votação despencou: Foram 75.404 faltosos em 2014 e 56.197 neste ano.

Os votos Nulo, praticamente, se repetiram: 49.211 em 2014 e 48.849 em 2018.

Os votos Branco, por sua vez, despencaram: foram 36.871 em 2014 e 29.994 agora.

O que piorou e por isso é preocupante, na análise do professor Flaviano, é o comportamento do eleitor sorocabano no quesito preferência dos votos dados aos candidatos de Sorocaba.

Em 2014, dos 284.651 votos válidos daquela eleição, os candidatos de Sorocaba receberam 182.089 votos. Neste ano, dos 323.923 votos válidos dessa eleição, os candidatos de Sorocaba receberam 151.691 votos. Ou seja, apesar do maior número de votantes, diminuíram bem os votos em candidatos de Sorocaba. Apesar disso, foram 5 candidatos eleitos em 2014 e 6 em 2018.

Na eleição de 2014, os candidatos de fora de Sorocaba receberam 64.467 votos enquanto que na eleição de 2018 os candidatos de fora tiveram mais que o dobro de votos, ou seja, receberam 144.080 votos.

Os votos de legenda, por fim, também despencaram na eleição desse ano: foram 38.095 em 2014 contra 28.152 nesse ano.

A campeã de votos nesta eleição, Janaína Paschoal, que foi uma das líderes da petição que levou à cassação da presidente Dilma Roussef, foi eleita com a histórica votação de mais de 2 milhões de votos à Assembleia Legislativa, sendo que desse total mais de 31 mil deles foram apenas de eleitores sorocabanos.

Na foto, eleitores sorocabanos aguardam para votar na EE Professor Geraldo do Espírito Santo Fogaça, no Jardim Santa Bárbara

Pivô da cassação do prefeito é condenada. Pena é prestar serviço comunitário

O juiz Jayme Walmer de Freitas, da Fórum da Comarca de Sorocaba, condenou em 1ª instância Tatiane Regina Góes Polis – ex-funcionária comissionada da Prefeitura de Sorocaba e pivô das atrapalhadas do prefeito Crespo que levaram à sua cassação – a quatro anos de reclusão no processo em que ela é acusada de uso de diploma falso. Porém, por entender que ela não oferece risco à sociedade, o juiz transformou essa pena ditada pela lei em pagamento de quatro salários mínimos, passíveis de parcelamento, a serem depositados em favor da entidade “Trabalho Fraternal Caminhada da Caridade” e na prestação de serviços à comunidade, pelo prazo da condenação.

A decisão da Justiça confirma que a vice-prefeita, Jaqueline Coutinho, tinha razão em sua acusação de que embora tenha diploma de curso superior e hoje faça pós-graduação, Tatiane usou um diploma falso do Ensino Fundamental, de um curso supletivo, para subir na carreira escolar.

Na sentença o juiz confirma essa acusação: a ex-servidora sequer conseguiu obter o diploma do Ensino Fundamental, restando provado que somente cursou até a 6ª série. Ele ainda afirma que Tatiane “ingressou em um curso não reconhecido em nosso Estado, onde, supostamente, teria concluído e obtido o certificado respectivo. Equivale dizer, de forma dolosa, valeu-se de certificado inválido perante os organismos competentes, e ingressou no Ensino Superior onde cursou e obteve o diploma de nível superior de tecnóloga”. Em outro trecho, o magistrado afirma que “tantos indícios não podem sugerir que a ré se equivocou e foi iludida por terceiros. Ao contrário, agiu dolosamente, convicta e segura quanto à sua capacidade e habilidade de iludir terceiros com seus documentos falsos”.

Vai recorrer da decisão

O advogado Márcio Leme, que defende Tatiane Polis, se pronunciou sobre a decisão da Justiça em nota e afirma que não houve surpresa em relação à condenação em primeiro grau, “vez que os fatos tratados no processo transbordaram os aspectos jurídicos”. Ou seja, “a defesa aguardará a intimação da sentença para, no prazo legal, apresentar recurso de apelação a fim de demonstrar que os fundamentos que motivaram a condenação em primeiro grau são absolutamente inconsistentes e não encontram suporte nas provas carreadas aos autos; ao contrário, restou evidenciado que a nossa cliente Tatiane concluiu os ensinos fundamental e médio em colégio regularmente sediado na cidade de Sorocaba, houve a emissão de diploma pela instituição e a respectiva publicação no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro de seu nome como concluinte do ensino médio. Portanto, temos convicção que o Tribunal de Justiça reformará a decisão de primeiro grau, restabelecendo a justiça”.

Na foto, o advogado Márcio Leme e Tatiane Polis

Cidade tem reabertura de tradicional bar e queda de inadimplentes

Dois dados divulgados nesta quinta-feira sobre a economia local indicam que bons ventos continuam soprando para o sorocabano.

A primeira boa notícia vem da Boa Vista SCPC, administradora do banco de dados da Associação Comercial de Sorocaba, captou que o mês de setembro registrou queda em relação ao número de inadimplentes, quantidade de registros e valor total da dívida.

A outra boa nova é o fato do tradicional Bar do Alemão de Itu, que havia fechado as portas da sua filial da cidade em agosto, está de volta, agora em novo endereço, bem em frente a unidade do Sesc, onde foram feitos investimentos de R$ 1,5 milhão com a previsão de gerar 100 empregos, sendo 40 diretos e outros 60 indiretos.

Dados do mercado

Segundo o Boa Vista SCPC, o número de pessoas inadimplentes (CPF negativados) registrou no mês passado 77.731, contra 79.162 em agosto, redução de 1,81%. A quantidade de registros de dívidas caiu 2,22%, passando de 150.229 para 146.894. Já o valor total da dívida apontou R$ 72.166.961,32 no mês passado, redução 0,71% em comparação com agosto. Em comparação com o mesmo período de 2017, o número de CPF’s negativados teve queda de 9,39%. Em contrapartida, o valor total devido apresentou alta de 1,38%.

Segundo o economista da Associação Comercial / Esamc Jr., Rafael Muscari, apesar de serem dados animadores, o movimento de baixa na inadimplência, neste período do ano, pode ser considerado comum. “Estamos na fase de aquecimento na produção industrial, visando o fim do ano. Há algumas recolocações, gerando novos empregos e fomentando o mercado”, avalia.

Bar do Alemão

Reconhecido pela marcante trajetória de 115 anos, o Bar do Alemão de Itu – que havia fechado sua filiar de Sorocaba, na avenida Eugênio Salerno em agosto – inaugurou nesta quinta-feira (11/10), sua nova unidade de Sorocaba, na região do Campolim, na avenida Washington Luiz, 546.

Com investimentos na ordem de R$ 1,5 milhão, o empreendimento deve gerar 40 empregos diretos e 60 indiretos, segundo o empresário Odivaldo Boff, que está à frente da filial em Sorocaba. O Bar do Alemão Campolim será o primeiro a contemplar no cardápio, pizzas gourmet da Max Pizza & Grill, marca fundada em 1988 para homenagear Max Steiner, fundador do Bar do Alemão de Itu.

De acordo com o empresário, Sorocaba tem potencial e público ávido por novidades. “Contamos com uma liderança moderna, um conceito super atualizado e o que tiver de melhor em São Paulo estará também em Sorocaba; essa é a primeira casa desse gênero e temos outras ideias também para a cidade”, comenta. As filiais do Bar do Alemão de Itu, hoje estão presentes em cidades como Campinas, Indaiatuba, Jundiaí, Mogi das Cruzes e na capital, São Paulo.

Dos 20 vereadores, 8 se definiram por Bolsonaro e 4 com Haddad

A Câmara de Vereadores de Sorocaba é formada por 20 vereadores sendo que 4 deles são declaradamente de ideologia de esquerda (2 do PT, 1 PC do B e 1 PSOL) e estão abertamente declarando seus votos a Haddad no 2º turno das eleições presidenciais.

Os outros 16 vereadores, que estão em partidos mais à direita no espectro ideológico, estão divididos, sendo que 8 deles já estão fechados em votar para Bolsonaro: Rodrigo Manga (DEM), que no 1º turno recebeu Eduardo Bolsonaro em Sorocaba, Luís Santos (Pros), Rafael Militão (MDB), Fausto Peres (Podemos), Pastor Apolo (PSB), Hudson Pessini (MDB), Wanderlei Diogo (PRP) e Anselmo Neto (PSDB).

Dos 8 vereadores restantes, 6 deles estão indecisos entre não votar em ninguém ou apoiar Bolsonaro. Não existe a chance de que algum deles escolha o candidato do PT. São: Martinez e João Donizeti (ambos PSDB) Péricles Régis, Vitão do Cachorrão e Fernando Dini (todos do MDB) e Irineu Toledo (PRB).

Fechando o conjunto dos 20 vereadores, dois deles informam que o voto é secreto e não dizem para quem vão votar: Hélio Brasileiro (MDB) e Silvano Jr. (PV).

Discussão ideológica

Na sessão do dia 18 de setembro, o vereador Militão – favorável a Bolsonaro – fez votos em favor da recuperação de Bolsonaro (que naquele dia ainda internado devido a facada) e Fernanda Garcia – que é de Haddad – criticou o general Mourão, vice na chapa de Bolsonaro, por sua fala de que famílias dissociadas, “sem pai e avô”, seriam responsáveis pelo aumento no número de criminosos no país. Segundo a vereadora, a fala tem cunho machista e desrespeita as mulheres.

Mais adiante, na mesma sessão de setembro, durante sua manifestação, Irineu (que diz estar indeciso no momento) afirmou que “não vai votar em ninguém para presidente” e citou partidos envolvidos em corrupção. A vereadora Iara Bernardi (que é Haddad) não recebeu bem a crítica e chamou o vereador de irresponsável por anular o voto. Ele rebateu e seguiu afirmando que nenhum candidato hoje o representa.

Reflexo da sociedade

Se há uma casa que se aproxima bem do que pensa a sociedade, essa é a Legislativa e de todos os âmbitos. Por isso, ver quem – do ponto de vista ideológico – compõe uma Câmara, Assembléia ou Congresso Nacional é se olhar no espelho.

Sem deixar vestígio, deputada comunica que está com Bolsonaro

Além do prefeito Crespo, que gravou um vídeo nas redes sociais para declarar seu voto em Bolsonaro no 2º turno das eleições, todos os seis deputados de Sorocaba, eleitos no domingo passado para a Câmara Federal e Assembleia Legislativa, também se definiram contra a candidatura do PT e a favor do capitão do Exército.

Em postagem anterior eu havia mostrado a posição de cada um dos cinco deputados que tinham declaradamente aberto seu voto e dito que apenas a deputada estadual Maria Lúcia Amary seguia até aquele momento a orientação do diretório nacional do PSDB, de não ser a favor de Haddad e nem de Bolsonaro.

Sem deixar vestígio algum em sua rede social, nem texto e nem de imagem, a assessoria da deputada me comunicou que ela está definida e fechada com Bolsonaro: “O PT, que institucionalizou a corrupção no País, deixou 13 milhões de desempregados. Já sabemos o que o PT pensa e como governa. Não queremos a esquerda governando nem São Paulo, e nem o Brasil. Por isso sou Doria e estou Bolsonaro, a favor do País. Sou anti-PT e contra a corrupção”.

A assessoria da deputada frisa bem: ela não é, mas está com Bolsonaro.

Prefeito de Sorocaba e 5 dos deputados eleitos assumem Bolsonaro

O prefeito Crespo gravou um vídeo nas redes sociais e publicou em sua página pessoal para dizer que “no segundo turno das eleições presidenciais, declaro meu apoio ao candidato Jair Messias Bolsonaro 17”. No vídeo, o prefeito aparece ao lado de Vinícius Rodrigues, que é o primeiro suplente da bancada federal do PSL, médico em Sorocaba que concorreu à sua primeira eleição.

Entre os seis deputados eleitos por Sorocaba domingo passado, três para a Câmara em Brasília e três para a Assembleia em São Paulo, apenas a deputada estadual Maria Lúcia Amary, que a partir de 2019 vai cumprir o seu quinto mandato, não manifestou o seu voto. Ela segue até o momento a orientação do diretório nacional do PSDB que não é a favor de Haddad e nem de Bolsonaro.

Seu colega de partido, e de dobradinha na campanha, o federal Vitor Lippi que a partir do ano que vem cumpre o seu segundo mandato, preferiu usar sua página para dizer “#PT Não” e estampar a frase “Brasil acima de tudo” que é o slogan de campanha de Bolsonaro.

O deputado federal Jefferson Campos, que foi eleito domingo passado para o seu quinto mandato na Câmara federal, embora não tenha feito manifestação alguma, tem uma selfie dele com Bolsonaro no plenário da Câmara em destaque logo que sua página é aberta no faceboook.

O deputado estadual Carlos Cézar, que vai cumprir o seu quarto mandato na Assembléia Legislativa, foi mais explícito e declara que seu voto é 17, Bolsonaro, no 2º turno.

Os novatos, eleitos para o primeiro mandato, Tenente Derrite que será deputado federal e Agente Danilo Balas, que será estadual, sustentaram boa parte de suas campanhas em cima da figura de Bolsonaro, portanto não há dúvida de como vão se comportar agora.

Fila para exames de mamografia vira disputa política partidária

Representantes da Liga Sorocabana de Combate ao Câncer estiveram na Câmara de Vereadores, no último dia 4, para divulgar a campanha Outubro Rosa, com o tema “Um Toque que Salva”, e também convidar a todos para a 4ª Corrida Pink do Bem, que acontece no próximo dia 21 de outubro, no Parque das Águas, cuja renda será totalmente revertida a realização de exames de mamografias.

Na oportunidade, Márcia Rodrigues, presidente da Liga Sorocabana de Combate ao Câncer, acompanhada de outras voluntárias, lembrou a fundação, há 43 anos, da Liga e revelou que até o mês de julho deste ano, cerca de 3900 mulheres estavam na fila da mamografia no Município, com previsão de três anos para o atendimento. “Quem sabe um dia consigamos zerar a fila, que é um sonho da Liga”, afirmou.

Críticas do PTe PSOL

A vereadora Fernanda Garcia (PSOL) ressaltou a falta de ginecologistas nas Unidades Básicas de Saúde e também a dificuldade encontrada pelas mulheres para fazerem o exame de Papanicolau, além da mamografia. “As mulheres estão morrendo pela falta de um atendimento mais rápido”, disse. Em seguida, Toninho Corredor (Patri) deu o exemplo de uma munícipe do Conjunto Habitacional Habiteto que aguarda desde 2016 pelo exame de mamografia. Em resposta ao parlamentar, Marcia Rodrigues disse que serão atendidas pela Liga, com a arrecadação da corrida, as mulheres que aguardam a mais tempo pelo exame.

Além de críticas em plenário, a vereadora Iara Bernardi (PT) divulgou em seus canais novas críticas: “Como deputada, eu trouxe R$ 600 mil reais em 2013 para a construção de uma ala na Policlínica para tratar da saúde da mulher. Mas essa ala jamais foi estruturada. A Policlínica não tem mamógrafo”, disse Iara. “O sistema de atendimento pelo qual a mulher primeiro passava por uma UBS, depois pela Policlínica e enfim pela Santa Casa, o que garantia o tratamento, foi desmantelado”, acrescentou. E, por fim, afirmou: “Não vemos as políticas sociais traduzidas no Orçamento da Prefeitura. Se não fossem as entidades sociais, a situação estaria muito pior”.

Defesa da Prefeitura

Via assessoria de comunicação da prefeitura, hoje, a secretária de Saúde, advogada Marina Elaine Pereira, informou que a sua pasta, a Secretaria de Saúde, aumentou em 65% o número de mamografias na Santa Casa em 2018. Até o fim do ano serão realizados 5.520 desses exames. Em 2017 o total foi de 3.343, e frisou: “graças ao grande empenho da gestão do prefeito Crespo em parceria com a Santa Casa” isso vai acontecer. El aproveitou e elogiou “o atual gestor da Santa Casa, padre Flávio Miguel Jorge Júnior, que é um grande parceiro”. Ela informa também que Sorocaba realiza mais 1.512 mamografias por mês através do prestador de serviços Linus Pauling.

Demanda reprimida

A assessoria da prefeitura, ainda diz: “ao assumir a prefeitura de Sorocaba, o prefeito José Crespo se deparou com uma demanda reprimida muito grande para a realização dos exames de mamografia. A fila era de 9 mil mulheres. Após iniciativas de gestão com o objetivo de melhorar a saúde da cidade, foi possível reduzir essa fila para 2.300 pacientes. Hoje, o tempo de espera para realizar o exame não ultrapassa dois meses”.

Tempo do governo e cidadão nem sempre está no mesmo compasso

A assessoria do prefeito Crespo divulgou nota hoje para dizer que “Prefeitura Municipal inicia processo de chamamento de auxiliares de Educação”. Neste primeiro momento 50 auxiliares. A atribuição de vagas faz parte de todo processo de contratação que tem as seguintes etapas: publicação no Jornal do Município no dia 16; avaliação psicológica entre os dias 15 e 19; exame médico admissional entre os dias 22 e 26; entrega de documentação dia 26; tomada de posse dia 31; integração na Sedu no dia 5 de novembro e início nas unidades escolares no dia 6.

Uma ótima notícia, sem dúvida, porém, fica claro que o tempo do governo e do cidadão andam em compasso diferentes e isso gera sofrimento.

Leitor deste blog e ouvinte da coluna O Deda Questão no Jornal Ipanema (FM 91.1Mhz), me escreve para pedir ajuda no sentido de apressar o prefeito nas contratações com o objetivo de evitar que sua filha fique sem creche e sua família sofra sem ter onde deixar o filho para ir ao trabalho.

Pai pede ajuda

Leia a íntegra da manifestação do leitor: “Bom dia, me chamo William. Gostaria de pedir uma ajuda referente a creche “Izabel dos Santos Pereira –CEI 112, localizado no jardim Betânia. Peço ajuda para essa creche, mas sei que o problema acontece em outras também. Sou pai de uma aluninha de um ano, que está matriculada lá em período integral. E na quinta-feira (04/10/2018), foi marcada uma reunião com os pais no qual foi informado que a creche não iria mais funcionar no período da tarde pelo motivo de não haver funcionários auxiliares de educação.

A diretora informou que já a partir daquele dia as crianças não iriam poder ficar. Eu trabalho em horário administrativo, e minha namorada, mãe da bebezinha, no período da tarde, pois ela também e professora de outro município vizinho.

Após conversa com a diretora, a mesma falou que poderia no máximo deixar a bebezinha freqüentar a creche no período da tarde até sexta feira passada (05/10/2018). Assim ficamos sem nenhum suporte dos responsáveis.

Segundo foi informado a nós, a prefeitura já estava chamando os concursados, porém que essa situação iria continuar por pelo menos um mês, já que entre o prazo de chamar os concursados, os mesmos entregarem documentos e fazer exame médico, iria levar no mínimo um mês, pois segundo eles o ambulatório que faz os exames médicos está com a demanda muito alta.

Gostaria de pedir a sua (deste blogueiro) ajuda  para que consiga fazer a prefeitura resolver essa questão mais rapidamente pois é um direito da criança freqüentar a creche em período integral já que ela está matriculada no período integral. Não simplesmente as crianças ficarem sem creche por um erro na prefeitura. As crianças ficarem sem poder freqüentar a creche no período da tarde, que em nosso caso seria o mais importante, pois a mãe da bebizinha pode ficar com ela no período da manha, porém não no da tarde, e não tem ninguém que pode ficar com ela, assim estamos sem saber o que fazer.

Agradeço se puder nos ajudar fazendo uma reportagem ou colocando em debate no Jornal Ipanema. Sou seu ouvinte há tempos.