A parábola do Bode na Sala ajuda a entender a queda de braço entre a Prefeitura de Sorocaba e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais a respeito da compensação de horas e do pedido de reajuste salarial de 14.77%

SSPMS

A parábola do Bode na Sala é uma das mais conhecidas e usadas com frequência por governantes como estratégia para resolver seus problemas. Me parece, e isso é apenas uma interpretação minha, que é isso o que acontece na evidente queda de braço entre o prefeito Crespo e os servidores públicos municipais.

No dia 27 de janeiro, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais entregou oficialmente ao prefeito que havia recém tomado posse quais o índice de reajuste salarial que desejam para a categoria (14.77% – leia a proposta abaixo). A data-base da categoria é janeiro.

O colega Gustavo Ferrari, jornalista do Portal Ipanema, me conta que conversou com Hudson Zuliani, secretário Geral da Prefeitura de Sorocaba, pessoa de confiança de Crespo, a respeito do pedido do sindicato e ouviu de Zuliani que até o momento, diante de outras necessidades da administração, ainda não há um estudo sobre a questão salarial pedida pelo sindicato. E que este tema entrará na agenda de prioridades do governo em março.

Ai que entra a minha percepção a respeito da Parábola do Bode na Sala. Ou seja, ao invés de entrar no mérito do que pede o Sindicato dos Servidores, o prefeito introduz um complicador nessa conversa, ou seja, publica o decreto que obriga os servidores a trabalharem meia hora a mais por dia para pagar, ou seja, compensar os pontos facultativos (dias que os funcionários emendam sem trabalhar quando um feriado cai perto de um final de semana). A reclamação é geral dos servidores. Fui o primeiro a revelar este incômodo.

Se vai dar certo ou não, ninguém sabe. Nem prefeito e nem sindicato. Só será possível essa compreensão quando houver a primeira rodada de negociação a respeito do reajuste dos salários dos servidores.

O bode na sala

Conta a parábola que um homem estava enfrentando muitos problemas em casa e que o ambiente por lá estava insuportável. Todos ali tinham algum motivo para reclamar. Ele queria mais tranquilidade, sua mulher queria mais limpeza e organização, seus filhos queriam mais atenção… Ao levar suas reclamações a um amigo sábio esse homem recebeu um conselho bastante estranho: “Encontre um bode não muito pequeno e o amarre no centro de sua sala de estar”.

Como já havia feito de tudo para contornar as reclamações de sua esposa e de seus filhos e nada havia dado resultado, o homem conseguiu o tal bode e o prendeu no centro da sala, para espanto de todos. Explicou que seria para resolver os problemas da família e sua mulher acabou concordando. Sua sala era um tanto quanto pequena e a presença do bode por lá começou a causar algumas dificuldades, a começar pela falta de espaço. Logo que chegou o bode esbarrou em alguns móveis e quebrou vários objetos de decoração que estavam por lá. Também não demorou para que ele começasse a sujar a sala, fazendo suas necessidades por lá mesmo. Não bastasse isso, o pobre bode exalava um cheiro não muito agradável deixando aquele ambiente bem pouco agradável.

Após uma semana da presença do bode todos estavam odiando sua presença na casa e o homem decidiu então voltar a falar com seu amigo sábio, imaginando que havia perdido alguma parte de explicação, pois aquilo que deveria resolver os problemas da família estava causando ainda mais desconforto. Mal explicou a situação e o sábio disse: “Retire o bode da sala, limpe o lugar e arrume tudo”.

Mais uma vez sem entender nada, imaginando que havia perdido mais uma oportunidade de resolver os problemas da família, ele voltou para casa, desamarrou o bode, organizou e limpou tudo. Quando chegaram em casa, sua mulher e seus filhos pareciam não acreditar no que viam. Todos vibraram ao saber que não teriam mais que conviver com o bode mal cheiroso e passaram a curtir a tranquilidade e o conforto da casa com enorme prazer. Ninguém mais tinha do que reclamar. Nada parecia maior do que a lembrança dos problemas causados pelo bode. A harmonia passou a reinar naquela família.

O reajuste do sindicato

O Sindicato dos Servidores Públicos de Sorocaba protocolizou no dia 27 de janeiro na Prefeitura um ofício sobre o reajuste salarial da categoria.

O índice de reajuste apresentado pelo sindicato é de 14,77% composto da seguinte forma:

  • Reposição da inflação de 6,29% – seis inteiros e vinte e nove décimos, referentes ao índice IPCA – exercício 2016.
  • Resíduo inflacionário de 2,71% – dois inteiros e setenta e um décimos referentes à inflação de 2015, visto que a inflação IPCA 2015 foi de 10,67% e a reposição concedida aos servidores em 2016 foi de 8%.
  • Reposição de defasagem salarial de 3,77% – três inteiros e setenta e sete décimos considerando que os reajustes anuais de 1% concedidos na década de 2005 a 2014 ao invés de somar 10%, somaram 6,33%.
  • Reajuste Salarial de 2% – dois inteiros, referente ao programa de valorização do servidor.