Péssima qualidade da informação sobre as mudanças na Guarda Civil Municipal de Sorocaba abre espaço para disputa ideológica entre PSDB sorocabano e Frente Intelectual de Esquerda que chama Sorocaba de puxadinho do Tucanistão

CrespoGCM

O Comandante da Guarda Civil Municipal de Sorocaba, Antônio Marcos de Carvalho Mariano Machado, cansou de falar hoje cedo nas emissoras de rádio de Sorocaba. Começou com Oliveira Júnior na Cacique, passou pela Cruzeiro FM e terminou no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) repetindo a mesma coisa: A GCM (Guarda Civil Municipal) “vai intervir sim e, se for o caso, prender o criminoso”. Tudo isso porque o prefeito Crespo, ao anunciar que a GCM passaria a atuar em feiras, zoológico, cemitérios, praças, pistas de caminhada e ciclovias deixaria de “correr atrás de traficante”. Uma bobagem sem tamanho. Crespo sabe disso. Mas no afã e entusiasmo de falar o que era novidade, e boa, acentuou o que se tornou polêmica nos últimos anos, que a GCM substituiu a Polícia Militar e que agora quer a PM fazendo o que é, por lei, papel dela.

Pior, a mensagem chegou tão deturpada à opinião pública que um dos ouvintes do Jornal da Ipanema na manhã de hoje chegou a fazer um neologismo com o slogan do prefeito Crespo, desde quando era candidato: o Bóra trabalhar de Crespo virou Bóra Traficar.

E essa péssima comunicação abriu espaço para o ideológico. De um lado o PSDB e de outro a Frente Intelectual de Esquerda – uma organização que prega o uso da capacidade de pensar para melhorar sua vida e a vida das pessoas ao seu redor. Por isso lutam pela Democracia em São Paulo.

Primeiro veio a manifestação tucana. Na ânsia de se mostrar oposição ao governo Crespo, o PSDB sorocabano entrou nesta disputa por meio de um texto de solidariedade com os membros da GCM que partiu do ex-secretário de Segurança Comunitária do prefeito Pannunzio, João Leandro da Costa Filho que também disputou e não chegou ao 2º turno das eleições de outubro e até o mês que vem, quando haverá nova eleição, segue como presidente do Diretório Municipal do PSDB. Ele e Pannunzio conduzem o diretório do PSDB à oposição de Crespo, o que é até lógico diante da rivalidade e divergência entre eles e Crespo. Mas, me parece evidente, a solidariedade de João Leandro teve unicamente o tom ideológico, uma vez que as mudanças da GCM foram no sentido de ampliar sua presença comunitária abrindo espaço para o trabalho ostensivo da PM. Escreveu João Leandro: “É de se lamentar, e muito, tal atitude do alcaide, pois, nos últimos anos, a nossa honrosa Guarda Municipal de Sorocaba se destacou nacionalmente pela sua bravura e atuação firme no combate a todo tipo de delito, sem deixar de fazer o trabalho social, estando entre as melhores do Brasil, o que tem sido imprescindível no combate aos criminosos, em parceria perfeita com as demais forças policiais.”

Em seguida vem a manifestação da Frente Intelectual de Esquerda sobre a mudança na GCM no site: http://nenhumdireitoamenossp.blogspot.com.br/2017/02/sorocaba-e-territorio-tucanistao-e-do.html?spref=tw&m=1.

A organização chama São Paulo de “Tucanistão” (mistura de Tucano com Afeganistão) e explica tratar-se de uma ditadura PSDB/PMDB/DEM e seus puxadinhos, e é uma região formada pelo Estado de São Paulo, capital e interior.

Para criticar a decisão de Crespo, a articulista do manifesto Intelectual de Esquerda usa reportagem do Jornal local Cruzeiro do Sul: “Prefeitura cancela o contrato de atividade delegada em Sorocaba”. E a articulista explica: Sorocaba é uma cidade de 652 mil habitantes (IBGE-2016) e está na Região Metropolitana de Sorocaba, 8º maior PIB do país. Sorocaba tem crescido muito e, consequentemente, está dominada pelo PCC.  Aumento da criminalidade e da insegurança da população. No governo anterior, a Guarda Municipal fez contrato de atividade delegada, exercendo funções de polícia em regime especial. Nossa guarda é armada e bem treinada. Com a criação da ROMU (Ronda Municipal) há 5 anos, os índices de criminalidade estão sendo reduzidos e muitas prisões são feitas e quadrilhas desmanteladas. Foi um grande acerto de estratégia na Segurança Pública da cidade. Os cidadãos estavam mais tranquilos. Estavam… Nosso prefeito cancelou o contrato de atividade delegada e retirou da ROMU as atividades em regime especial de polícia. A GM não correrá mais atrás de traficantes, palavras do próprio prefeito. Esta decisão foi um choque para os guardas civis e para a população. Os comentários nas redes sociais hoje foi o mesmo: quem agradece é o PCC!. Acho que você já percebeu o rumo da conversa, mas, antes disso, quero apresentar pra vocês a ROMU da GM Sorocaba (…)

Piada. Não o que pensam o DEM, PSDB ou a Frente Intelectual de Esquerda. Mas a disputa ideológica em torno de uma decisão absolutamente prática e técnica. Crespo e João Leandro/Pannunzio são adversários em combate. Crespo e Lippi/Maria Lúcia (deputados do PSDB) são adversários silenciosos, cada um em sua trincheira. Mas seja em uma condição ou outra estão historicamente e ideologicamente antagônicos ao que é a Frente Intelectual de Esquerda.

Em resumo, somente a péssima qualidade da informação de Crespo para explicar toda essa disputa.

A informação de qualidade indicaria, somente, o seguinte: Infelizmente a PM (responsabilidade do governador Alckmin, que sempre está devendo algo a Sorocaba) não tem o efetivo que a cidade precisaria pela demanda. Infelizmente, o mesmo acontece com a GCM. E uma instituição não pode continuar a fazer o papel do outro. Ou seja, a guarda prendendo traficantes e a PM fazendo a operação delegada.

O fato é que a guarda precisava, há bom tempo, estar mais presente nos espaços públicos e a nova decisão coloca o GCM nas feiras livres, na porta dos cemitérios, que estava largada, e nas principais praças, como a exemplo vila Formosa e Vitória Régia , que é enorme o tráfico de entorpecentes, na área central, na fiscalização do entorno do Mercado Municipal que está tomado por vendedores de cigarros contrabandeados. Isso sem falar na fiscalização da Zona Azul e combate a quem cobra até 10 reais para olhar o carro, fato esse que ocorre no Zoológico e Cemitérios. Portanto, é necessária a fiscalização.

Não há ideologia, há a crença de que se está fazendo o correto com o modelo novo. Assim como ocorre em qualquer lugar do mundo, enfim, agora, haverá policiamento a pé. Isso está longe de ser ruim.

 

FOTO: Mariano, é o novo comandante da GCM desde o dia 4 de janeiro quando foi empossado por Crespo

Comentários

Leia também