A verdadeira superioridade do universo pertence aos microrganismos

A dengue é infinitamente mais contagiosa. A Influenza (vírus da gripe comum) é muito mais grave. A pressão alta e diabetes muito mais letais… Mas o coronavírus dominou o imaginário popular.

Cada palavra de algum “doutor”, com título em universidade famosa, é esparramado como vírus pelo whatsapp.

Fábio Jatene, Marcos Knobel são dois exemplos de doutores que tiveram parte de suas falas propagadas como “verdades absolutas” e viraram “celebridades”.

Esse momento, de pavor dos coronavírus, me lembra de Joca Reiners Terron, escritor brasileiro de quem tive a oportunidade de ser aluno em uma oficina de literatura no Sesc Pinheiros, em São Paulo, em seu “Noite Dentro da Noite” (Companhia das Letras, 2017): “Nenhum deles, arianos antissemitas, filósofos niilistas, fascistas e racistas, poderia supor que a verdadeira superioridade do universo pertence aos microrganismos (…). Corpúsculos ainda menores que uma célula não sofrem com dilemas morais.”

Me lembra também de “Morte em Veneza” – romance der Thomas Mann e publicado pela primeira vez em 1912 – onde a complexidade da escrita (que dá margem a inúmeras interpretações ) se desenvolve num hotel de luxo numa Itália contaminada por um vírus que ameaça, indistintamente, pobre e ricos; jovens e velhos; esquerda e direita. O filme, de Luchino Visconti, de mesmo nome, feito com base no livro de Mann, se tornou muito mais popular e vira e mexe é exibido em algum canal pago.

A verdade é que a declaração de pandemia global pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em decorrência do novo coronavírus tem gerado milhões de compartilhamentos de whatsapp a respeito do risco que o vírus oferece.

A pandemia tem jogado na cara das pessoas que “…a verdadeira superioridade do universo pertence aos microrganismos…”, mas ainda há quem tente politizar isso, fazendo de conta que o mundo é como o idealizado em 1940 por William Hanna e Joseph Barbera em “Tom e Jerry”. Na imagem, Tom se “purifica” após ter contato com algum microorganismo.

Pode parecer bobagem, mas o que está claro neste momento é, mais uma vez, que a cultura é unicamente o que molda o comportamento humano, sendo a cultura aquilo que é assimilado pelas pessoas a partir das informações que elas recebem: seus gostos, desejos, comportamentos, opiniões…

Comentários

Leia também