Corriqueira encrenca entre bolsonaristas e lulistas

Vinícius Aith, 22 anos, vereador da Câmara Municipal de Sorocaba, foi o meu entrevistado hoje no programa O Deda Questão na rádio web 365 (o programa pode ser visto a qualquer momento no Youtube) sobre o posicionamento da vereadora Iara Bernardi, 69 anos, que o acusa de machismo.

O que motivou a fala da Iara, e ela ter levado a questão à Comissão de Ética da Câmara, foi o fato de Aith, há três semanas, ter dito que Iara não tinha colhão para subir na tribuna da Câmara para defender a ele que havia sido vítima de agressão de manifestantes que lhe bateram na cabeça com a haste de uma bandeira e lhe chutaram a perna. E que ela tinha colhão apenas para defender o jornalista (Reinaldo Galhardo) agredido num evento bolsonarista do qual Aith era organizador.

Colhão, do ponto de vista da anatomia, são as bolas, os testículos que junto do pênis compõe o órgão genital masculino. Do ponto de vista popular, significa falta de coragem, covardia.

Aith me disse hoje que usou o termo do ponto de vista popular (falta de coragem) e não anatômico (o que seria uma imbecilidade uma vez que ele sabe que Iara é mulher). O argumento de Iara, por sua vez, é o que está embutido na visão popular, ou seja, que apenas quem tem colhão é que pode ter coragem. É esse o ponto onde se manifesta o machismo.

Aith entende que não há motivo para pedir desculpas para Iara e me disse que não vai fazê-lo. Para se defender, decidiu fazer o mesmo que Iara e entrou na Comissão de Ética da Câmara contra Iara que no final de sua fala, na tribuna, disse que se for necessário vai dar uma bifa (nome popular de tapa na cara) em Aith.

Iara mobilizou parcela da sociedade em redes sociais e um grupo de mulheres esteve na Câmara ontem, quinta-feira, para pressionar o presidente da Casa, vereador Cláudio do Sorocaba 1, a tomar uma atitude. Num dado momento, é possível ouvir de uma das manifestantes a expressão: cadê o menininho….?

Minha percepção é de que o embate entre Iara e Aith é apenas mais um dos embates que se dão em âmbito nacional entre bolsonaristas e lulistas. Aith, apesar de 22 anos, está na política desde os seus 15 anos quando era assessor de Fernando Dini e depois se ligou a Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair. Iara é fundadora do PT, desde 1982 vem disputando e ganhando eleição, é defensora de Lula na mesma proporção que Aith é de Bolsonaro em que pese a distância de idade entre os dois.

Mesmo Iara dizendo que não se trata de embate ideológico, mas de machismo e do ataque de um homem a uma mulher, quando ouço a manifestante chamando o vereador de menininho esse argumento perde força. A essência da briga pode ser sim o machismo, mas a troca de tapas deixa claro que é mais uma corriqueira encrenca entre bolsonaristas e lulistas.

Comentários

Leia também