Igrejas católicas da França estão sendo atacadas e profanadas

O jornal espanhol ABC – fundado em 1903, portanto um dos mais importantes da Espanha e tradicionais do mundo – havia publicado no dia 20 de março, portanto quase um mês antes do trágico incêndio que destruiu boa parte do monumento gótico Catedral de Notre Dame, de Paris (assunto em todos os jornais sérios do mundo desde segunda-feira) que doze igrejas da França foram vítimas de um vandalismo evidentemente anticatólico ao serem atacadas, saqueadas e profanadas na segunda semana de março.

Tais ataques, embora o ABC não diga, ganham relevância ainda maior quando se lembra que os muçulmanos de países da África, que foram colonizados por franceses, chegam em cada vez maior número na França. E que seus hábitos de professar sua fé são polêmicos e geram debates no país.

De acordo com o periódico, um dos ataques mais emblemáticos foi o realizado contra a igreja de Saint-Sulpice, incendiada no último domingo, 17. Após a Celebração Eucarística do meio-dia, o sacerdote desta paróquia viu um indivíduo colocando fogo em madeiras ao redor do templo, mas não desconfiou de nada. O fogo atingiu as grandes portas de madeira do templo e se espalhou para os vitrais e para uma escada. A polícia ainda está em busca do autor do incêndio. Os custos para restaurar o templo são estimados em centenas de milhões de euros.

Outro ataque foi registrado na igreja de Notre-Dame des Enfants (Nossa Senhora das Crianças) localizada na cidade de Nimes, onde vândalos profanaram o templo pintando uma cruz utilizando excrementos humanos, saquearam o altar principal e o sacrário, roubando as hóstias consagradas, que mais tarde foram encontradas no lixo.

Na cidade de Dijon, a igreja de Notre-Dame foi saqueada e profanada. O tabernáculo do templo foi arrombado e as hóstias que estavam dentro dele foram jogadas no chão e pisoteadas.

Em Lavaur, uma igreja foi assaltada por jovens aparentemente embriagados. O braço de um Cristo crucificado foi torcido com a intenção de parecer que fazia um gesto obsceno. Na periferia de Paris também foram realizados ataques a diversas igrejas importantes, que sofreram com o vandalismo.

A sincronia dos ataques e os mesmos alvos religiosos visados constantemente, evidenciam uma orquestração bem tramada, na avaliação do ABC. Nestas situações nada acontece por acaso, afirma o periódico, que conclui: Tudo leva a crer que esse início sistemático de atos -misto de vandalismo e profanação- contra a Igreja Católica seja uma incipiente demonstração de ataques com objetivos pré-determinados, com fins escusos, porém desconhecidos.

Até o momento, o fogo na Notre Dame, vem sendo tratado como tragédia, descuido, mas não atentado. Mas levando em conta os ataques relacionados pelo jornal ABC não será de se duvidar que alguma relação entre todos os incêndios seja estabelecida.

Comentários

Leia também