Por que vereador legalista seria alvo de ameaça de bomba

Os vizinhos dos Instituto Brasileiro do Sono, localizado na esquina das ruas dos Andradas com rua Rogério Arcury, no bairro Vergueiro, em Sorocaba, passaram momentos de tensão no começo da noite de ontem e início da madrugada de hoje quando, por volta das 20h, se desconfiou que um pacote deixado na porta da clínica médica, embalada com fita adesiva e com o nome do médico escrito à caneta, pudesse ser uma bomba.

Detalhe, o médico é o vereador Dr. Hélio Brasileiro (MDB).

Ou seja, o pacote deixado no local – que foi isolado por policiais militares e analisado pelo Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) até se constatar que se tratava de uma caixa com vários potes de vidro vazios dentro – foi para o médico ou vereador?

Hélio Brasileiro, aos jornalistas que compareceram ao local durante o desenrolar dos fatos, afirmou que as câmeras de monitoramento da clínica registraram um veículo estacionando no local, um homem deixando o embrulho e que a Polícia lhe deu a informação de que a placa do carro visto nas imagens é falsa.

Hélio Brasileiro “não quis atribuir o episódio à sua atuação no Legislativo”, publicou o jornal Cruzeiro do Sul, em seu portal, na madrugada de hoje. Que atuação? Ele se referia a algum comportamento em específico? A verdade é que Hélio Brasileiro surpreendeu aos analistas políticos quando assinou o pedido de criação da CPI dos Voluntários, uma vez que sem a assinatura dele não haveria a investigação. Segundo a reportagem, Hélio Brasileiro “frisou que a cidade vive um momento político turbulento e que a sua atuação legalista pode desagradar”. A quem? Obviamente que ele desconfia de alguém ao fazer tal colocação.

O médico também disse que não acreditava na hipótese de uma mera brincadeira de mau gosto: “Na medicina é preciso enxergar lá na frente, e se uma suspeita existe, ela precisa ser esgotada”. Que a polícia, portanto, esgote essa suspeita. Mesmo porquê na fala do vereador, publicada pelo Cruzeiro do Sul, o sentimento que fica é que ele desconfia de quem não queria a CPI dos Voluntários. A verdade, portanto, será saudável para todos.

Comentários

Leia também