PSOL encomenda nova pesquisa de intenção de voto a prefeito de Sorocaba. Em jogo as respostas de duas perguntas: para onde foram os votos de Renato Amary e o grau de conhecimento do eleitor a respeito dos cinco concorrentes

Como aconteceu com a primeira pesquisa eleitoral registrada nessa corrida eleitoral de Sorocaba para o cargo de prefeito, a segunda pesquisa oficial também é uma encomenda do diretório municipal do PSOL que vai desembolsar R$ 10 mil para o Ipeso, a mesma que já fez a primeira pesquisa. Quando saiu o resultado da primeira pesquisa, Renato Amary tinha 49% das intenções de voto, mas ele se retirou do processo e está dando sua bênção ao candidato Crespo. No PSDB, João Leandro havia acabado de ser escolhido o candidato tucano e não tinha ainda aparecido ao lado de seu cabo eleitoral, Vitor Lippi. Laerte Molleta ainda era candidato a prefeito e se juntou a Hélio Godoy, onde é o vice. Glauber Piva, do PT, ainda não tinha a bênção oficial do Sindicato dos Metalúrgicos, o que aconteceu. Raul Marcelo do PSOL já tinha uma confortável segunda colocação.

Por isso, agora, a grande expectativa em relação aos números.

São duas grandes perguntas em jogo e que a pesquisa vai responder:

  • Para onde migraram os votos daqueles que pretendiam votar em Renato Amary?
  • Qual o grau de conhecimento do eleitor a respeito dos candidatos?

A combinação das duas respostas das perguntas acima é que vai colocar fogo na corrida eleitoral. Com as regras novas desta eleição, o tempo de exposição de cada candidato no horário eleitoral de rádio e TV diminuiu em dois sentidos: dias de exibição (serão 35 e até a eleição passada eram 45 dias) e tempo diário em que aparecerão (eram 20 minutos e agora são 10). A expectativa sobre o resultado é entender se ela já demonstra a definição de uma tendência ou demonstra um caminho aberto numa eleição em que dois candidatos já concorreram em eleições passadas de prefeito (Crespo e Raul) e três são estreantes (Glauber, Hélio Godoy e João Leandro).

Sem registro da pesquisa no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), portanto sem a chance de ser tornada pública, os partidos estão há tempos fazendo suas pesquisas. Há muita fofoca sobre números. Mas vale lembrar que pesquisa é o raio-x do que pensa o sorocabano a respeito de seu candidato neste momento. Pesquisa, vale lembrar, é o momento. E essa pesquisa do Ipeso, feita por encomenda do PSOL, foi registrada no dia 12, as entrevistas foram feitas entre os dias 13 e 16 de agosto, e a divulgação está marcada para o dia 18 de agosto, quinta-feira. Além de perguntar em quem o sorocabano vai votar (em pesquisa espontânea e estimulada), a pesquisa querer saber o grau de conhecimento do eleitor a respeito dos candidatos, a religião dele e a avaliação que faz da saúde da cidade. Dados que interessam a todos. Uma outra pergunta, de interesse do PSOL, avalia o desempenho de Raul Marcelo num eventual segundo turno com cada um dos outros 4 concorrentes.

Comentários

Leia também