Sorocaba está em 153ª em ranking de desenvolvimento

Logo que acordei hoje e acessei meu whattsapp, num dos grupos do qual faço parte havia a notícia: “Saiu o ranking das 100 melhores cidades pra se viver no Brasil, levantamento medido pelo IFDM (Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal)” – lembrando que Firjan é a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro.

O primeiro comentário era: E cadê Sorocaba?

Sim, cadê Sorocaba?

Está na posição número 153 do ranking com 0.8343 pontos lembrando que os estudos dos técnicos da Firjan tem como base os dados de 2016, ou seja, de três anos atrás, quando o prefeito era Pannunzio e não Crespo. Mas, em 2015, quando o prefeito era Pannunzio (ou seja, com a comparação feita dentro do próprio governo) Sorocaba despencou 10 posições, pois em 2015 ocupava a posição número 143, embora tenha melhorado os seus pontos, uma vez que em 2015 tinha 0.8215 pontos e no ranking mais recente obteve 0.8343.

Para se chegar à relação das cidades, o IFDM usa como base emprego, renda, saúde e educação para definir quais são as cidades mais desenvolvidas, entre os 5,471 municípios do país – onde vivem 99,5% da população brasileira.

A cidade número 1 do ranking, pelo segundo ano consecutivo, é Louveira, localizada a cerca de 70 quilômetros da capital de São Paulo. O município tem pouco mais de 40 mil habitantes e foi o único a registrar índice acima de 0,9.

Apenas 431 municípios – e Sorocaba está entre eles – conseguiram nota acima 0,8, a maior parte deles está concentrada no Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Entre as 100 cidades no ranking 2018/2016, apenas uma cidade é da Região Metropolitana de Sorocaba: Porto Feliz, na 34ª posição com 0.8632 pontos.

São Paulo, capital, também está fora dessas 100 cidades do ranking Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal. Entre as cidades paulistas com mais de 500 mil habitantes, apenas Campinas está presente com 0.8501 pontos, enquanto Sorocaba, que não figura entre as 100 cidades, obteve 0.8343 pontos.

Outras cidades conhecidas, como Jundiaí, Rio Preto, Araraquara, Presidente Prudente, São Caetano, Barretos, estão no ranking das 100 melhores cidades.

Análise dos técnicos

Segundo análise da Firjan, a crise econômica que o país enfrentou nos últimos anos fez com que o nível socioeconômico das cidades brasileiras retrocedesse em três anos. De acordo com o estudo, na comparação com 2015, as áreas de educação e saúde tiveram o menor avanço da última década e não compensaram as perdas do mercado de trabalho nos últimos anos.

A análise mostra que o país está bem longe das metas estabelecidas pelo Plano Nacional de Educação (PNE), monitoradas pelo IFDM. A meta, por exemplo, de universalizar a educação na pré-escola para crianças de 4 e 5 anos poderá ser atingida somente em 2035, caso o crescimento observado de 2014 a 2016 se mantenha.

Na análise de Emprego e Renda, o IFDM aponta que, entre 2015 e 2016, foram fechados quase 3 milhões de postos de trabalho formais no país. Em 2016, apenas 2.254 cidades geraram empregos, ou seja, quase 60% fecharam postos de trabalho, incluindo capitais e grandes centros econômicos.

 

As 100 cidades mais bem avaliadas:

1º – Louveira (SP)

2º – Olímpia (SP)

3º – Estrela do Norte (SP)

4º – Vale Real (RS)

5º – Apucarana (PR)

6º – Lajeado (RS)

7º – Toledo (PR)

8º – Concórdia (SC)

9º – Itatiba (SP)

10º – Itupeva (SP)

11º – São Caetano do Sul (SP)

12º – Jundiaí (SP)

13º – Jaguariúna (SP)

14º – São José do Rio Preto (SP)

15º – Paraguaçu Paulista (SP)

16º – Mendonça (SP)

17º – Paulínia (SP)

18º – Paranavaí (PR)

19º – Pato Branco (PR)

20º – Vinhedo (SP)

21º – Clementina (SP)

22º – Santos (SP)

23º – Mococa (SP)

24º – Amparo (SP)

25º – Chapecó (SC)

26º – Barretos (SP)

27º – São Carlos (SP)

28º – Planalto (SP)

29º – Maringá (PR)

30º – Rio do Sul (SC)

31º – Ilhabela (SP)

32º – Andradina (SP)

34º – Porto Feliz (SP)

33º – Indaiatuba (SP)

35º – Nova Odessa (SP)

36º – Campo Bom (RS)

37º – Marília (SP)

38º – Matão (SP)

39º – Cajamar (SP)

40º – Joaçaba (SC)

41º – Franca (SP)

42º – Borá (SP)

43º – Holambra (SP)

44º – Fernandópolis (SP)

45º – Mato Leitão (RS)

46º – Patos de Minas (MG)

47º – Florianópolis (SC)

48º – Iracemápolis (SP)

49º – Balneário Camboriú (SC)

50º – Mirassol (SP)

51º – Jandaia do Sul (PR)

52º – Itapira (SP)

53º – Meridiano (SP)

54º – Muçum (RS)

55º – Campo Mourão (PR)

56º – Atibaia (SP)

57º – Serafina Corrêa (RS)

58º – Bento Gonçalves (RS)

59º – Carlos Barbosa (RS)

60º – Gramado (RS)

61º – Medianeira (PR)

62º – Potirendaba (SP)

63º – Paraíso (SP)

64º – Presidente Prudente (SP)

65º – Picada Café (RS)

66º – Santo André (SP)

67º – Barueri (SP)

68º – Guaporé (RS)

69º – Santa Rosa (RS)

70º – Pratânia (SP)

71º – Bebedouro (SP)

72º – Chapadão do Céu (GO)

73º – Itumbiara (GO)

74º – Curitiba (PR)

75º – Jarinu (SP)

76º –  Araraquara (SP)

77º – Pedreira (SP)

78º – Santa Cruz do Sul (RS)

79º – Catanduva (SP)

80º – Campinas (SP)

81º – Bragança Paulista (SP)

82º – Penápolis (SP)

83º – Taguaí (SP)

84º – Francisco Beltrão (PR)

85º – Londrina (PR)

86º – São Lourenço do Oeste (SC)

87º – Veranópolis (RS)

88º – Marechal Cândido Rondon (PR)

89º – Ceres (GO)

90º – Votuporanga (SP)

91º – Lençóis Paulista (SP)

92º – Valinhos (SP)

93º – Gabriel Monteiro (SP)

94º – Eusébio (CE)

95º – Ijuí (RS)

96º – Jaci (SP)

97º – Farroupilha (RS)

98º – Frederico Westphalen (RS)

99º – São João da Boa Vista (SP)

100º – Ivoti (RS)

Comentários

Leia também