Ação preventiva do Ministério Público de Sorocaba contra a criação de cargos previstos na legislação leva o prefeito a entrar com uma representação contra promotor sorocabano junto à Procuradoria-Geral de Justiça de SP

CrespoRepresentacao

Quando, durante entrevista na coluna O Deda Questão do Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema (FM 91,1Mhz), o prefeito afirmou que tem gente que não ele deixa trabalhar, embora não tenha citado nomes ficou evidente para mim, ao menos, que uma dessas pessoas é o promotor público do Ministério Público Orlando Bastos Filho.

Em dezembro passado ele instaurou inquérito civil em caráter preventivo no qual recomendou ao então prefeito Pannunzio e ao que iria assumir, Crespo, além dos vereadores “que se abstenham de recriar, ainda que com outra denominação, cargos iguais ou assemelhados em secretarias já existentes ou eventuais novas, àqueles extintos por força de ação direta de inconstitucionalidade”. Conforme o MP, caso insistam em levar adiante a empreitada, todos os envolvidos poderão, se condenados por eventual decisão, responder pela prática de improbidade administrativa e terão de devolver aos cofres públicos recursos gastos com a eventual medida.

Nunca se viu ação preventiva do MP. Ela tem provocado medo em vereadores que temem em votar a favor da Reforma Administrativa a ser votada neste quarta (18/01). Crespo e sua equipe nunca haviam visto ação preventiva e foram até o escritório de São Paulo, onde é cliente, do escritório de advocacia de Luiz Antônio Fleury Filho (ex-governador), Fúlvio Julião Biazzi (ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado) e Cláudio Alvarenga (ex-secretário de Estado). Eles também afirmaram que nunca viram o MP fazer ação preventiva. Acompanhados dos advogados paulistanos, e dos secretários Hudson Zuliani, Marinho Marte e Rodrigo Moreno, Crespo  foi até Gianpaolo Poggio Smanio, Procurador-Geral de Justiça do Estado de São Paulo, chefe de Orlando Bastos e ele também disse que nunca ouviu falar em ação preventiva do MP.

Diante disso, Crespo revelou hoje na coluna O Deda Questão que entrou com uma representação contra Orlando Bastos Filho e solicita à Procuradoria-Geral de Justiça o cancelamento do inquérito preventivo instaurado por Orlando Bastos.

Este é apenas mais um capítulo no embate entre Orlando Bastos e Crespo desde que o atual prefeito era vereador.

FOTO:  Luiz Antônio Fleury Filho (ex-governador e fundador do MP) acompanhou Crespo e os secretários Hudson Zuliani, Marinho Marte e Rodrigo Moreno na visita a Gianpaolo Poggio Smanio, Procurador-Geral de Justiça do Estado de São Paulo

Comentários

Leia também