“As pessoas que lotaram o sambódromo mostram que há sim o interesse do sorocabano pelo Carnaval de rua”, avalia secretário da Cultura

O desfile de 5 das 11 escolas de samba de Sorocaba, que atenderam ao edital da Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura, encerrou oficialmente o Carnaval na cidade que teve outras 57 ações nas regiões de bairros da cidade. Cerca de 4 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, estiveram presentes no sambódromo montado na avenida Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, na frente da prefeitura. O secretário de Cultura e Turismo, Werinton Kermes, afirmou que “as pessoas que lotaram o sambódromo mostram que há sim o interesse do sorocabano pelo Carnaval de rua”.

Problemas no TCE

No ano passado a pasta da Cultura abriu edital para que as escolas de samba de Sorocaba interessadas em desfilar em 2018 pudessem fazer suas inscrições. E das 11 escolas de samba da cidade, apenas cinco apresentaram a inscrição formal com o interesse de participar do desfile.

Antes havia um repasse de verba municipal diretamente às escolas de samba, via Lisobes (Liga Sorocabana dos Blocos e Escolas de Samba), mas ele foi suspenso há cerca de dois anos, por problemas na prestação de contas apontados pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado). “O Poder Público municipal não pode fazer nenhum tipo de repasse de verbas para essa Liga. E a representante legal das escolas de samba da cidade seria a Liga, já que a Prefeitura não pode passar a verba diretamente para as escolas”, esclareceu Werinton.

Essa decisão sobre o corte de repasse de verbas aconteceu no dia 3 de dezembro de 2015, quando houve uma reunião entre a Prefeitura e as escolas de samba. O motivo aventado na época, em administração passada, era a crise econômica que o País começava a enfrentar, mas também o rompimento de nove das onze escolas com a Lisobes e outros problemas complicaram a situação.

Sobre isso, Edson Cásar Leite, conhecido como Edson Negracha, conta que foi criada uma Comissão Provisória de Carnaval, da qual ele é presidente, para auxiliar a Liga no Carnaval de 2018. Criada por representantes das escolas de samba de Sorocaba em meados de 2017, essa Comissão Provisória tem como função organizar os desfiles e promover a intermediação entre as agremiações e a Secretaria de Cultura e Turismo. Sua função é auxiliar a Liga na prestação de contas para que, com as irregularidades sanadas, a entidade possa voltar a receber a verba pública destinada a isso. “Eu entendo que se cogitou a possibilidade de um repasse, porém todos sabiam dessa impossibilidade; o comprometimento é que o secretário de Cultura iria trabalhar para que isso pudesse acontecer, mas, de fato, todas as escolas de samba sabiam desse impedimento legal e jurídico pelo qual a Liga passa”, reconhece Edson Negracha, historiando que os problemas começaram com a gestão de 2014, pois ela cometeu alguns erros na prestação de contas e isso vem impedindo o Carnaval de 2016 e 2017. “Em 2015, ainda aconteceu o desfile carnavalesco com repasse da Prefeitura para as escolas, mas em 2016 isso já não pôde acontecer”, explica.

Carnaval 2019

Negrecha conta também que a Lisobes criou um departamento jurídico e está trabalhando para que todas as pendências sejam resolvidas até o ano que vem. “Está sendo trabalhado sobre isso e esperamos que em 2019 não tenhamos mais estes problemas, para que possa haver um Carnaval à altura da cidade”, afirma. Como conselho, Werinton diz que a receita para um Carnaval 2019 melhor, com mais escolas participando, são ações. “As escolas de samba precisam se organizar em ações, para que possam conseguir recursos próprios para participar do desfile no ano que vem. Se tudo estiver esclarecido com a Liga, podemos também dar o auxílio municipal e a festa será como deve ser: sensacional”, conclui esperançoso o secretário.

Corte de Momo

Coube à bateria da Terceiro Centenário conduzir pela avenida a Corte do Carnaval, formada por Carlos Fernando Motta (Rei Momo); Fabíola Serra (Rainha); Patrícia Soares (Princesa); Tatiane Aparecida Rodrigues Leme (Cidadã do Samba) e Nelson José Franco (Cidadão do Samba).

Logo após o Rei Momo receber as chaves da cidade das mãos do prefeito José Crespo, a Unidos do Cativeiro foi para o sambódromo e homenageou as mulheres. A Furiosa Real chacoalhou a avenida com o samba que falava da alegria de ser folião. A Mocidade Alegre tratou das riquezas do Egito e a Gaviões da Fiel das origens tupiniquins.

Apuração nesta quinta-feira

A escola campeã do Carnaval 2018 será conhecida nesta quinta-feira (15). A apuração está marcada para as 16h, na Casa do Turismo – avenida Afonso Vergueiro, 310, Centro. Dois representantes de cada agremiação são convidados, assim como a imprensa em geral. As escolas foram avaliadas em nove quesitos.

Comentários

Leia também