Assessores de Dini saem em defesa do chefe, mesmo sem ele ter sido atacado

Escrevi o óbvio na postagem de ontem: que a sentença da juíza Karina Jemengovac Perez, da Vara da Fazenda Pública do Foro de Sorocaba, fuzila a vice-prefeita Jaqueline Coutinho – que com a cassação do prefeito Crespo assumiu a chefia do Poder Executivo de Sorocaba – a partir da lógica apresentada pela magistrada de que a anulação só é cabível nos casos em que o voto suspeito é decisivo para o resultado. E Pessini foi decisivo para ela ficar no cargo.

E deixei no ar a questão: quem vai provocar a Justiça neste sentido? O maior interessado não são os vereadores em geral, mas um em particular, Fernando Dini, presidente da Câmara tendo em vista que na linha sucessória, na ausência de prefeito e vice, quem assume o comando da Prefeitura é o presidente da Câmara.

Não há nada de ofensivo nisso. Não há ilação. Não há achismo algum. Há dois fatos: Dini é o maior interessado e alguém precisa provocar a justiça.

Mesmo assim, assessores de Dini, como mostro na imagem que ilustra esta postagem, saíram em defesa dele – o que é legítimo – porém com argumentações que são injustas quanto às minhas colocações.

Comentários

Leia também