Aumentam recuperados porque os de contaminados, primeiramente, subiram

Há um movimento brusco do pêndulo cultural, que se detectou com clareza a partir de junho de 2013, em todo o mundo, para o extremismo ideológico da chamada Direita que se resume em negar o conhecimento científico e pregar as razões imediatas capazes de explicar “a existência” para essas pessoas. Daí ser crescente o número de pessoas que dizem que a Terra, sim o Planeta, é Plano; que a China intencionalmente criou o Covid-19 de modo que em 2020 apenas ela tenha obtido crescimento no PIB; que a vacina é um negócio pessoal do governador… e por aí vão as crenças.

No momento, a certeza de que o isolamento social não presta para nada é defendida ferrenhamente por essas pessoas, que seguem negando o que a Ciência diz. Há filminhos de sobra para justificar o ponto de vista deles. Há uma massa de gente fazendo ativismo nas redes sociais. Obviamente não por coincidência, mas por crença, essa massa segue compartilhamento essa ideologia, a mesma do presidente da República.

Um exemplo escabroso dessa militância extremista é a negação da Pandemia pela inversão da lógica e do bom senso a respeito do número de pessoas infectadas. Ao invés de alertar que o problema é real e crescente, preferem enfatizar o aumento dos “recuperados” sem explicitar que antes aumentaram os infeccionados, logicamente. Falar que os “recuperados”, na sua maioria, estão precisando de assistência médica por conta das sequelas pós Covid, não faz parte do discurso dos negacionistas.

Essa tentativa de encobrir a gravidade da situação, negando-se a gritar sobre os números de mortos, por exemplo, de informar o crescente número de contaminados, ao menos enquanto não tiver vacina para todos é um serviço a favor do genocídio.

Evidentemente o isolamento provoca a paradeira da economia e “quebra” as finanças das famílias, mas mantém a vida. Não é possível compactuar com o cinismo do presidente da República, por exemplo, que vai foi à sua rede social para perguntar até quando as pessoas vão chorar pelos 250 mil mortos. A mãe, o filho, o pai, irmão, amigo… vai chorar pelo resto da vida presidente.

A vida vem antes da economia!

O dinheiro não deveria dar sentido à vida. As pessoas não deveriam ser medidas pelo seu sucesso financeiro. Há outras réguas para isso.

Comentários

Leia também