Autoridades acompanham o jogo mais importante da história de 104 anos do São Bento, mas serviço de som do estádio esquece de citar muitos nomes

JaqueSBA prefeita Jaqueline Coutinho não apenas esteve presente no jogo do São Bento, domingo passado, que consagrou o maior feito da história de 104 anos do clube que garantiu o acesso à série B do Campeonato Brasileiro de 2018, como concedeu entrevista às emissoras que faziam a cobertura do evento.

O serviço de som do estádio – que é responsabilidade da empresa de Fausto Peres desde antes dele ser vereador, cargo que exerce atualmente – achou por bem informar ao público da presença de autoridades. Tivesse se limitado a falar da presença dela, talvez não tivesse gerado o desagrado que provocou uma vez que divulgou apenas algumas autoridades (Flávio Alves, secretário de Esportes; Francisco Pagliato Neto, secretário de Relações Institucionais; Sandra Navarro, secretária de Comunicação e Eventos; Rodrigo Manga, Hudson Pessini, Wanderlei Diogo, Renan Santos, todos vereadores) e não citou outras também estavam presentes no estádio (Júlio Guebert, adjunto do Delegado Geral da Polícia Civil do Estado de São Paulo; Raul Marcelo, deputado estadual; Fernando Dini, vereador; Glauber Piva, secretário de Cultura; sem contar as que eu não vi lá, mas certamente estavam).

Isso sem falar da ausência de citações de pessoas que ajudaram na construção do São Bento (ex-presidentes João Câncio e Reinaldo Rio Branco, que foram os que vi lá e certamente poderiam ter outros ex-presidentes presentes; e certamente o maior mecenas do time nos últimos 30 anos, Zezo Lanaro, que fez questão de – junto do filho, netos e nora – testemunhar este momento; foram empresários do comércio e indústria que com muito ou pouco ajudaram ou ainda ajudam o time).

Abertamente, é óbvio, ninguém reclamou, mas evidentemente que sentiram o lapso. Agora, asseguro, para os quase 10 mil torcedores presentes no estádio ter o nome citado nada significou. A citação, feita enquanto o jogo transcorria, passou desapercebida da maioria que foram ao jogo pela paixão pelo time e por serem testemunha do momento mais glorioso do time até aqui.

Mas improvisar num momento tão solene como o jogo do principal acesso do São Bento acabou sendo descabido. Por mais amizade que haja entre Fausto Peres e a prefeita Jaqueline, e por mais evidente que possa ter sido sua boa intenção, o fato é que provoca estranhamento. Mais, provoca confusão ao dar margem para que se interprete que a prefeita foi citada porque seu advogado é o presidente em exercício do São Bento. O que, todos sabem, não teve influência alguma. Estou certo que Fausto Peres quis somente agradar.

Comentários

Leia também