Campari agradece funcionários e comunidade e explica que decisão de deixar Sorocaba busca, a partir da fábrica do Pernambuco, maior eficiência operacional para garantir a sustentabilidade dos negócios da empresa no Brasil

Após a postagem sobre o fim da operação da Campari em Sorocaba na noite de Quarta-Feira de Cinzas, quando tive a certeza do fim da operação da empresa na cidade, recebi hoje o posicionamento oficial da empresa sobre a decisão de manter no Brasil apenas a unidade pernambucana da empresa.

Ao contrário da postagem anterior, onde informei que eram 200 funcionários na cidade, a empresa me informa que são 120 atualmente e que a Campari iniciou sua operação em 2001, quando adquiriu a Drurys que foi fundada na década de 60.

Num tom conciliatório, a Campari expressa gratidão por funcionários, comunidade e deixa claro, sem citar, que o custo de operação da empresa no nordeste está abaixo do que no sudeste, ou seja, há o fator Guerra Fiscal (onde cada Estado do Brasil oferece o que entende necessário para atrair ou manter empresas) e demais custos envolvidos em qualquer empresa.

Nom tom da nota, fica evidente também que não há mais o que ser feito para que a Campari não vá embora de Sorocaba. É decisão tomada.

Nota oficial da Campari

A Campari anunciou em 7 de fevereiro passado aos seus funcionários que, em razão da necessidade de realizar ajustes de demanda que impactam em projeções futuras, a empresa vai encerrar as atividades de fabricação, envasamento e distribuição na sua planta de Sorocaba (SP). Esse processo será progressivo e deverá ser concluído em junho de 2018.

Esta decisão foi tomada em busca de maior eficiência operacional, como forma de garantir a sustentabilidade dos negócios da empresa no país e não afetará o abastecimento do mercado local, que continuará contando com as marcas de seu portfólio.

A Campari acredita no contínuo desenvolvimento do mercado interno, por isso manterá sua produção no Brasil, concentrando suas operações industriais da planta de Suape (PE).

Todas as alternativas possíveis estão sendo consideradas para minimizar os impactos aos profissionais afetados pela decisão. A empresa está oferecendo aos profissionais serviços de auxílio para recolocação no mercado de trabalho e está em contato com o Sindicato para a melhor condução possível dessa transição.

A companhia compartilha sua gratidão por seus funcionários e pela comunidade do entorno da fábrica de Sorocaba, que foi o lar da empresa no Brasil por tantos anos.

Comentários

Leia também