Confiante depois de três vitórias nos campos jurídico, político e institucional alcançadas nesta semana, prefeito decide “sentir o pulso” do sorocabano – como se diz nos bastidores políticos – e foi almoçar no restaurante Bom Prato

CrespoBomPrato

Frequentadora do Bom Prato

reconhece o prefeito

e vai conversar com ele

O prefeito fez barba, cabelo e bigode, como se diz popularmente, nesta semana, ao alcançar três vitórias nos campos jurídico, político e institucional. Primeiro foi a derrubada da liminar que determinava a demissão em 48 horas dos 84 nomeados para cargo em comissão da prefeitura o que manteve todos trabalhando até o julgamento da ação proposta pelo Ministério Público. Depois foi a segurança de que o alinhamento político entre os vereadores da base e o executivo está restabelecido. Por fim, foi a troca de gestão na Santa Casa com a requisição que ele fez deixando o secretário da Saúde no comando da gestão do hospital.

De alto astral e feliz com a fase de vitórias, o prefeito decidiu ir ao encontro do povo e sentir o pulso, como se diz nos bastidores. E foi almoçar no restaurante Bom Prato (onde a refeição é subsidiada pelo governo do estado e custa R$ 1 real). Entrou na fila, se serviu na bandeja e sentou-se numa mesa e, me conta uma pessoa que estava no restaurante, não foi criticado por ninguém que o reconheceu e ficou feliz por várias pessoas terem ido cumprimentá-lo e pedir para tirar foto.

Sindicato dos Servidores pensa diferente

Claro que se tivesse ido ao refeitório do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais isso teria sido absolutamente diferente. O presidente da entidade, Salatiel Hergezel, divulgou carta chamando Crespo de tirano, parlapatão (palavra cunhada pelo ex-prefeito Pannunzio ao se referir a Crespo), Odorico, sociopata por entender que Crespo ofendeu os servidores ao dizer que médicos trabalham 3 horas por dia; advogados da prefeitura 4 horas por dia e engenheiro 6 horas por dia. Para Salatiel, Crespo generaliza e prejudica a imagem do servidor público.

O embate entre o prefeito e o sindicato existe desde que o prefeito determinou a compensação de horas no dia que estão entre os feriados; disse que discutiria em outubro o reajuste salarial dos servidores e azedou ainda mais quando o prefeito ofereceu coxinhas a quem foi protestar diante da sua casa.

Comentários

Leia também