CPI da Santa Casa acusa provedor de crimes e culpa prefeitura por falta de fiscalização

O relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito 07/2014, a CPI da Santa Casa (com cerca de 300 páginas, sem contar os anexos e a auditoria)  foi apresentado e entregue ao presidente da Casa, José Francisco Martinez (PSDB) na sessão ordinária de hoje (14/04). O relatório será enviado ao prefeito Pannunzio e ao Ministério Público. Também será formulada uma ação popular baseada no relatório e provas colhidas, inclusive, pela Polícia Civil. Presida por José Crespo (DEM) e com Irineu Toledo (PRB) como relator, a comissão é formada ainda pelos vereadores Marinho Marte (PPS) Izidio de Brito (PT), Fernando Dini (PMDB), Carlos Leite (PT) e Francisco França (PT).  “Deixando de lado a quadrilha, que responderá aos crimes na justiça, houve omissão de muitos agentes públicos e por isso a ação popular deverá chamar a responsabilidade da prefeitura que antes da requisição nunca fez uma fiscalização sequer no hospital”, afirmou. Em seguida o presidente da CPI leu as conclusões do relatório que entre outros apontamentos cita que a provedoria da Santa Casa e seu provedor, José Antônio Fasiaben, cometeram: procedimentos irregulares; má-administração de verbas públicas, com perdas financeiras decorrentes de pagamentos indevidos; prática de nepotismo; superfaturamento e possível beneficiamento ao Plano de Saúde, Santa Casa Saúde; criação e cargos de confiança com disparidades salariais; possível lavagem de dinheiro; utilização de recursos destinados a construção do centro de oncologia para outros fins; sonegação fiscal; associação criminosa; operações fraudulentas; prática de peculato, e destruição indevida de documentos relevantes para ocultamento de provas.

Comentários

Leia também