Dirigente do basquete busca ajuda no candidato a prefeito do PSDB para não ter cortes em verbas e o da Orquestra tenta sensibilizar o próprio prefeito

O ajuste nas contas públicas, que até o final de ano prevê o corte de R$ 55 milhões no valor previsto nos gastos do orçamento de 2016 da Prefeitura de Sorocaba, está gerando polêmicas e reclamações nos mais diversos setores. Primeiramente o horário de funcionamento das UBS (Unidades Básicas de Saúde) que há 12 anos teve estendido o seu funcionamento em duas horas, ou seja, passou a fechar às 19h, voltou ao ser horário de fechamento original, ou seja, às 17h. Depois foi o corte nos lanches dos mais de 5 mil mesários que foram convocados para trabalhar na eleição, economia de R$ 64 mil. Teve a não realização do tradicional desfile de aniversário de Sorocaba, em 15 de agosto, onde foi economizado mais R$ 42 mil. Teve o corte de 15% na verba de repasse para a Fundec (Fundação de Desenvolvimento Cultural) que mantém a Orquestra Sinfônica. E agora quem reclama é o dirigente da LSB (Liga Sorocabana de Basquete) que não terá o repasse de R$ 87 mil previstos para este começo de mês e já chegou o aviso de que não tem expectativa de sair neste ano. Esse corte ameaça o funcionamento das 6 categorias de base da equipe e mais de 200 alunos de escolinha do Projeto Arremesso para o Amanhã. “São muitas crianças. Isso é saúde e responsabilidade social puxa vida. Quantas crianças tiramos na rua!” lamenta Rinaldo Rodrigues que comanda há décadas este projeto. Com a crise, a indústria Case cortou a verba anual de R$ 440 mil e abalou o desempenho da equipe na NBB, competição de alto nível. Com medo do futuro e sem chance de sensibilizar o prefeito Pannunzio, Rinaldo esteve na manhã de hoje no escritório político de João Leandro, candidato a prefeito pelo PSDB, para ver se ele ajuda a fazer o prefeito mudar de idéia a respeito desses cortes no projeto de basquete. “Preciso de uma apelo da imprensa. Não quero polêmica e sim ajuda forte para manter esse projeto importante para Sorocaba”, desabafou Rinaldo.

Quem também alimenta a esperança que o prefeito cumpra o que diz a lei, ao menos, de repasse, é a Fundec. Dirigentes da entidade já agendaram uma audiência com o prefeito para tratar do tema. Somente após este encontro é que haverá manifestação oficial da entidade a respeito do que vão fazer.

Comentários

Leia também