Divididos, vereadores devem adiar novamente cassações

É arriscado qualquer palpite sobre o resultado das representações protocoladas na Câmara de Vereadores de Sorocaba contra o prefeito José Crespo e a vice-prefeita Jaqueline Coutinho, pedindo que percam o mandato.

Novos aditamentos aos pedidos existentes e novos pedidos, certamente, vão adiar a leitura desses fatos na abertura da sessão desta terça-feira.

Neste final de tarde de segunda-feira, minha percepção é de que os 20 vereadores estão divididos em três grupos (um grupo pró-Crespo, outro grupo pró-Jaqueline e um terceiro que penderá para um lado ou outro assim que novos fatos forem sendo revelados e esses fatos venham a interferir em seu projetos políticos e pessoais de cada um dos vereadores).

Daqui uns dias porém, essa situação poderá ser outra, ou seja, poderá existir mais unidade entre os vereadores.

Ao final da CPI dos Voluntários, entendo que um novo pedido de cassação de Crespo seja protocolado. Entendo, igualmente, que o desdobramento da Operação Casa de Papel levará a novo pedido contra o prefeito. A situação de Crespo é absolutamente frágil. Para salvar a sua pele, apenas se surgir uma razão plausível, que seja de convencimento de toda a sociedade, para ele ter dado novamente tanto espaço para a sua ex-assessora, Tatiane Polis, desta vez como voluntária.

Lembro que uma Comissão Processante, por lei, só pode cassar o mandato de um eleito se ficar comprovada a quebra do decoro no exercício do cargo. Qualquer outro crime precisa ser investigado pela polícia, denunciado pelo Ministério Público e julgado pela Justiça. Friso, apenas a quebra do decoro dá poder aos vereadores de tirar o mandato do prefeito.

A situação de Jaqueline, nesta disputa pelo cargo, é mais confortável. Se nada aparecer contra ela, se algo que ainda não é do conhecimento da sociedade surgir, a tendência é que não seja mais apresentado nenhum pedido para cassar o seu mandato e ela assuma o governo para o qual foi eleita como vice. Mas, repito, isso ainda vai levar alguns dias. Não vejo clima para que seja aprovada, no momento, uma Comissão Processante contra Crespo e muito menos contra Jaqueline. Mas vejo, sim, a partir dos desdobramentos dos fatos onde Crespo está envolvido, um clima bem propenso para tirar-lhe o mandato.

Mas é palpite elaborado a partir dos fatos que conheço hoje.

A previsão inicial, de que logo no início da sessão desta terça-feira, seriam feitas as leituras dos dois pedidos de abertura de Comissões Processantes, assim como os pareceres jurídicos, não deve ocorrer devido ao contratempo de que foi protocolado novos aditamentos aos pedidos de cassação.

Comentários

Leia também