Força oculta fica fraquinha e ministro agenda para a próxima sexta-feira sua vinda a Sorocaba para inaugurar oficialmente o residencial Carandá. Aqui vale o neologismo shakespeariano “muito barulho por (quase) nada”. Por ego

PannBrasi

Foto de reunião do PSDB em Brasília onde estão presentes Pannunzio e o ministro Bruno Araújo. Imagem permitiu a tese de que força oculta no imbróglio entre O Ministério das Cidades e Prefeitura de Sorocaba teve origem em conversa dos dois

A decisão oficializada agora há tarde de que o ministro das Cidades, Bruno Araújo, virá a Sorocaba para a entrega de 496 unidades do Carandá (ficarão faltando 176 e mais de 1500 foram entregues) na próxima sexta-feira, dia 7 de abril, permite o uso de uma neologismo shakespeariano “muito barulho por (quase) nada”. Todo impedimento, toda afirmação de que o prefeito Crespo foi precipitado ao fazer a entrega das chaves para que mais de 1500 contemplados fizessem sua mudança, não passou de um exercício de ego (imagino que seja da sua equipe) do ministro. Ele não admitia a entrega sem a presença dele. O que obviamente é uma grande bobagem, afinal a entrega das chaves não estraga a festa.

O prefeito tinha creditado a força oculta a braveza do Ministério das Cidades. Hoje, durante entrevista, perguntei se era o ex-prefeito Pannunzio (amigo pessoal de Bruno Araújo, deputado federal do PSDB que ocupa o cargo de Ministro das Cidades) essa força oculta. Ele disse que não acreditava nisso, mas que essa força está agora morando em Brasília. Ou seja, o prefeito diz sem dizer e apenas reforça o que se diz nos corredores da prefeitura de que Pannunzio teria, sim, colaborado na formalização da manifestação do ministério das Cidades.

PSDB indignado com insuação

O presidente do diretório municipal do PSDB, João Leandro da Costa Filho, que durante 20 anos assessorou Pannunzio emitiu manifestação com toda a indignação a respeito dessas insinuações: “Pannunzio representa os interesses do estado de São Paulo em Brasília. Seu histórico de vida e defesa dos interesses republicanos não autoriza ninguém em sanidade normal imaginar que ele seria tão mesquinho numa obra que tem a sua assinatura. O maior programa habitacional da história de Sorocaba”.

Comentários

Leia também