Guerra contra o MP é ação de alguns e não da Câmara, manifesta grupo de vereadores

O vereador Jessé Loures assina documento encaminhado ao promotor de justiça do Ministério Público de Sorocaba, Orlando Bastos Filho, com a assinatura de outros 8 vereadores (totalizando 9), onde afirma total apoio à atuação e ao trabalho que está sendo desenvolvido pelo promotor em Sorocaba e ressalta o papel do MP em prol da sociedade.

Minha primeira impressão ao ler o manifesto foi de desconfiar: Qual o valor num documento desse? Há alguma sinceridade? Me soa como bajulação. Não enxergo o lado positivo.

E me fiz a pergunta, qual o lado bom desse apoio de um grupo de vereadores ao promotor? A resposta que me ocorre é de que a guerra contra o MP não é uma posição da Câmara,  mas de uma minoria isolada de vereadores, porém barulhenta.

Mas pensei: assinam este documento 9 vereadores, portanto 11 em tese estão do outro lado e a guerra é da maioria dos vereadores.

Mas ai me ocorre que puseram sua insatisfação no papel e foram à Brasília pedir que o Conselho Nacional do Ministério Público investigue o promotor Orlando Bastos, apenas  3 (Marinho Marte, José Crespo e Francisco França). Sendo assim, o placar está 9 (que assinam o documento entregue ao promotor) a 3 com os 8 vereadores restantes como neutros. Será?

Seja como for, me parece bajulação, pois é gente que deve algo (como o vereador Muri que está em vias de ter no MP seu problema no Centro Esportivo de Brigadeiro Tobias) querendo agradar quem cobra por essa dívida. Mas imediatamente me ocorre que isso não pode ser critério, afinal quase todos vereador tem processo em andamento no MP. Se este raciocínio (quanto aos que ficaram do lado do promotor leva em conta processos), o mesmo tem que valer para os que questionam o promotor. Ou seja, por coerência,  já que todos respondem, se de um lado teve bajulação de outro vingança.

Assinam o documento de apoio a Orlando Bastos: Jessé Loures, Gervino Gonçalves (Cláudio do Sorocaba 1); José Francisco Martinez; Anselmo Rolim Neto; Rodrigo Maganhato (Manga); Maurício Rodrigues da Silva (Muri); Neusa Maldonado Silveira; Waldecyr Morely; Wanderley Digo de Melo.

Enfim, mais um capítulo desse imbróglio.

Comentários

Leia também