Mais do que não ser cassado, prefeito busca garantia de sossego

Desde que interrompeu o projeto de poder do presidente da Câmara de Vereadores, Fernando Dini, de se tornar prefeito de Sorocaba, evitando a cassação de Jaqueline Coutinho, mantendo-a no cargo, o prefeito Crespo está buscando mais do que ele não ser cassado pela Comissão Processante, ele quer sossego para terminar o seu mandato.

Na prática, o que o prefeito deseja é que ações contra ele – como novos pedidos de comissões processantes – sejam encerradas no nascedouro.

E os vereadores entendem que isso é plausível, que é preciso tranquilidade institucional e que a cidade já está parada há muito tempo.

O prefeito pretende não criar mais problemas para ele próprio como, por exemplo, nomeando assessora voluntária, viajando sob licença médica sem avisar e solidificar a aproximação que teve com a vice desde o Dia do Desafio e com o vereador Manga, de seu partido, com quem alterna momentos de guerra e paz.

Mais do que isso, o prefeito que se reaproximar de Fernando Dini, de quem já foi bem próximo, deixando de lado o movimento dele de ter tentado ser o prefeito nos movimentos de cassação.

Neste processo, ainda em curso, quem passou a ter reconhecimento intelectual e de habilidade política, na proposta de construção de uma nova harmonia política para Sorocaba, foi Renan Santos que entendeu que diferenças ideológicas não podem ser maiores do que o interesse coletivo. E quem perdeu, foi Cíntia de Almeida. Ninguém entendeu como alguém que defendeu o governo durante o tempo inteiro, na hora da votação, votou contra o governo.

E, o que é do jogo político: aliados continuarão a ter os apoios necessários. Quem titubeou, indicando uma posição e mudando de lado em cima da hora, deverá amargar colhendo o fruto que plantou.

Como disse, tudo isso é intenção do prefeito.

Pode ser que Crespo seja cassado (a Comissão Processante está em curso) e, mesmo não sendo, pode ser que tenha vida dura até o final do mandato.

Entre as intenções de Crespo e a realidade que ele vai vivenciar, está o movimento das peças do tabuleiro de xadrez da sucessão municipal: Quem são os candidatos a prefeito? Quem estará com quem? Não sendo Crespo candidato à reeleição, quem será o candidato para defender o seu governo?

Por fim, quem tem vontade de ser candidato, mas é melhor sair do caminho do outro – que é o que aconteceu com Dini, ou seja, ele demonstrou vontade de ser candidato e Manga também, se Dini virasse prefeito agora, certamente se credenciaria para ser candidato em 2020 o que atrapalharia Manga. Ou seja, Manga votou a favor de Jaqueline não para ajudar ela, não para prejudicar Dini, mas para se ajudar em seu sonho de ser candidato a prefeito. Movimento legítimo quando se pensa em política!

Comentários

Leia também