MP arquiva CPI do Saae e ironiza vereadores ao dizer que trabalho é sem conclusão

Desde dezembro de 2015 a Câmara de Vereadores de Sorocaba tem a conclusão que a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investigou problemas de abastecimento e tratamento de água em Sorocaba ao longo de quase dois anos.

Desde dezembro, também, o MP (Ministério Público) tem esse relatório, com mais de 100 páginas, que aponta como principal motivo da crise hídrica vivida pela cidade no início de 2014 a falta de investimentos por parte do Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto).

A CPI acumulou diversas oitivas e chegou a viajar para Brasília para ouvir diretores de uma empresa contratada pelo Saae para a execução de obras: ECL Engenharia.

Nada disso sensibilizou o promotor Orlando Bastos Filho. Em despacho, aliás, ele chega a ironizar o papel do presidente da CPI, vereador Carlos Leite, e dos relatores vereadores Luis Santos e Pastor Apolo ao mandar arquivar o material da CPI entendendo que ele é apenas “mera comunicação, sem indicação de fato ou pedido de providências”. Afirma que o relatório da CPI é “inconcluso e pede para arquivar como mero ofício recebido”.

Comentários

Leia também