Não é apenas um ícone

“Olhem a barbaridade que os vândalos fizeram em nossa placa, sobretudo desrespeitando o nome do Nosso Senhor e da nossa cidade!”

Assim reagiu o prefeito Manga na noite de terça-feira, dia 20 de julho de 2021, quando publicou em sua página de Facebook às 21h30 a foto de que o totem, o polêmico totem, na entrada de Sorocaba para quem chega pela rodovia Castelinho, estava com a marca Antifa.

O desabafo de Manga, que vejo como sendo o mesmo de milhares de sorocabanos, revela um olhar para o que eles têm olhos, ou seja, para o que compreendem: uma mensagem destruída/ um totem vandalizado.

O prefeito vê, e compreendo como sendo a mesma compreensão de milhares de sorocabanos, o que ele está apto. Mas é importante entender o que vem a ser Antifa. Trata-se de “uma conglomeração de grupos de esquerda. A principal característica dos grupos antifas é a sua oposição ao Fascismo por quaisquer meios necessários. Eles atuam com táticas de militância em protestos expondo identidades de nazistas e fascistas e realizam manifestações contra a extrema-direita.”

A pichação do totem não foi, portanto, apenas um vandalismo, mas, sim, uma manifestação contra o Fascismo (movimento político e filosófico ou regime, como o estabelecido por Benito Mussolini na Itália, em 1922, que faz prevalecer os conceitos de nação e raça sobre os valores individuais). O slogan “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, do presidente Bolsonaro, é um exemplo do que o Antifa combate quando identifica numa sociedade as seguintes características: Valorização exacerbada do nacionalismo; Ênfase no militarismo; Obsessão com a segurança nacional; Desprezo pelos Direitos Humanos; Desprezo por intelectuais e artistas; Controle da mídia e censura; Uso da religião como forma de manipulação do cidadão menos instruído. Todas, no meu entender, características do governo Bolsonaro.

O que pode indicar a presença do Antifa em Sorocaba pela primeira vez se manifestando publicamente (eu não me lembro de outra manifestação deles) é que o grupo passou a ver por aqui elementos públicos do que eles combatem.

Equívoco é o Antifa identificar no governo Manga, em específico, esses elementos. O totem, por exemplo, nasceu por obra e ação dos hoje deputados federais Vitor Lippi (PSDB), na época de sua instalação prefeito de Sorocaba, e Jefferson Campos (PSB), na época na Câmara de Vereadores. O totem (vale a pena uma pesquisa mais ampla para quem se interessar pelo tema) já foi alvo de dezenas de vandalizações e de uma ação judicial instaurada pelo Ministério Público onde se concluiu que ele não fere o princípio de laicidade previsto na Constituição. Do mesmo modo, o slogan do prefeito Manga, de resgatar a autoestima e autoconfiança do sorocabano está bem longe de aniquilar qualquer sentido de individualidade, ao contrário, busca reunir condições para a atração de novos investimentos que atendam a toda comunidade.

O importante é estarmos atentos para, assim, ficarmos aptos a entender o que o Antifa vê e o que os governos fazem.

Comentários

Leia também