Nova lei eleitoral pode barrar candidatos do PSOL em debates. Em São Paulo Erundina ficou de fora. Em Sorocaba, coligações decidem não impedir presença de Raul Marcelo

ThaisRomao

Terceira colocada com 10% das intenções de voto, segundo pesquisa Datafolha, na corrida eleitoral pela Prefeitura de São Paulo, Erundina (PSOL) ficou de fora do primeiro debate desta eleição na TV Bandeirantes devido à nova regra eleitoral. A legislação garante a participação apenas dos candidatos de partidos com mais de nove deputados na Câmara Federal, sendo que o PSOL tem apenas seis parlamentares. Para ir ao debate, Erundina teria que ter sido aceita por dois terços dos candidatos aptos, ou seja, no caso de São Paulo seriam pelo menos três deles.

Em Sorocaba, portanto, a situação de Raul Marcelo é exatamente a mesma. Ele poderia ficar de fora. Mas nenhum dos outros quatro candidatos teve a iniciativa de ir contra a presença de Raul Marcelo. Thais Romão, presidente do diretório municipal do PHS e que assume a coordenação geral da coligação Construindo um Novo Tempo, foi a primeira a defender a presença de Raul Marcelo nos debates. Na foto ela aparece ao lado do candidato a prefeito (Hélio Godoy) e do vice, Laerte Molleta.

A presença de Raul nos debates é essencial, afinal nas duas pesquisas eleitorais registradas, do Ipeso/PSOL e do Ibope/TV TEM, ele lidera as intenções de voto com mais de 30%. As dezenas de debates já agendados até o final desse momento do processo eleitoral será fundamental para revelar o que o candidato pensa e pretende fazer por Sorocaba uma vez que no horário eleitoral de TV e rádio terá somente 18 segundos. O debate, onde o candidato não tem o recurso da equipe de marketing durante a exposição de suas ideais, se transforma no momento mais verdadeiro daquele que se dispõe a lutar pelo comando da prefeitura.

Comentários

Leia também