Prefeito, empresário e voluntária negam as acusações

O portal G1/Sorocaba foi, até o momento, o único veículo de comunicação de Sorocaba que teve o acesso permitido pela polícia ao depoimento de Eloy de Oliveira ex-secretário de Comunicação e Eventos do governo Crespo na Prefeitura de Sorocaba, na investigação que apura irregularidades na Lei do Voluntário.

Segundo os jornalistas Daniel Schafer e Wilson Gonçalves Jr., ambos do G1 e TV TEM Sorocaba, “Eloy disse que Crespo insistiu para que a agência de publicidade e propaganda DGentil contratasse Tatiane Polis como funcionária. Como o dono da agência, Luís Navarro, se recusou a contratar a ex-assessora como funcionária, foi estabelecido um acordo, por determinação de Crespo, para que ela fosse paga com dinheiro do contrato público que a agência tem com a prefeitura, no valor de R$ 20 milhões. A partir desse momento, Tatiane Polis passou a receber um salário de R$ 11 mil por mês para exercer a função de voluntária da Secretaria de Comunicação. A princípio o salário seria de R$ 9 mil, mas Tatiane teria pedido R$ 2 mil a mais”.

Os jornalistas da TV TEM também informam que no depoimento, “Eloy também disse que a ex-assessora exerce forte poder sobre o prefeito e que atua com status de secretária, tendo ramal telefônico em seu nome no sexto andar. O ex-secretário afirmou que, ao contrário do que foi divulgado, Tatiane Polis nunca se desligou da Prefeitura de Sorocaba”.

O que dizem os citados

O empresário Luís Navarro negou, aos jornalistas Daniel Schafer e Wilson Gonçalves Jr., que tenha sido procurado pelo prefeito para contratar Tatiane Polis como funcionária e nega que tenha feito qualquer pagamento a ela.

O advogado de Tatiane Polis, Marcio Leme, disse, a Daniel Schafer e Wilson Gonçalves Jr., que a denúncia é um absurdo, que nenhum pedido de pagamento ou contratação foi feito pelo prefeito para a agência e que nenhum pagamento foi feito para Tatiane Polis.

Em entrevista à TV TEM, Crespo disse que “ele [Eloy] destruiu toda a confiança que eu criei nele durante esses últimos anos. Lamento e, na hora certa, também tomarei as atitudes judiciais contra ele”. Segundo Crespo, “o conteúdo do depoimento de Eloy não é verdadeiro e foi feito para tentar atrapalhar o governo. Eu nunca tolerei corrupção, nunca pratiquei. A minha imagem de vida, de família, prova isso. Não compactuo. Estou estarrecido”, disse Crespo.

A ex-assessora Tatiane Polis depôs na Câmara dos Vereadores na manhã desta quarta-feira na CPI que investiga a suspeita de trabalho voluntário irregular na Prefeitura de Sorocaba. À vereadora Iara Bernardi, presidente da CPI, Tatiane Polis disse que “nunca recebeu nenhum tipo de pagamento durante o trabalho dela como voluntária na prefeitura: Minha conta está disponível a qualquer acesso. Nunca recebi nenhum depósito na minha conta”. A ex-assessora também negou ter uma sala própria no 6º andar do Paço Municipal e um ramal telefônico e também que nunca teve nenhum poder dentro da prefeitura.

FOTO: Tatiane Polis, Crespo, Carlos Mendonça (chefe de gabinete) e Eloy durante momento de descontração

Comentários

Leia também