Representação pede que MP investigue compra de votos na eleição de presidente da Câmara

Um cidadão, de nome João Francisco Queiróz, reuniu o que entende que sejam provas de que há o comércio de votos para a eleição de presidente da Câmara de Vereadores de Sorocaba com valores que variam de R$ 3 mil a R$ 15 mil. Queiróz entregou todo o material que reuniu ao Ministério Público e, por força do ofício, a promotoria deverá dar uma resposta oficial arquivando a denúncia e encerrando a suspeita do cidadão ou abrindo um processo de inquérito para reunir elementos que permitam denunciar os vereadores envolvidos à Justiça por prática de crime. Pelo que tive conhecimento, a denúncia do cidadão aponta que um vereador teria oferecido os valores de R$ 3 mil a R$ 15 mil a outros quatro vereadores para obter deles o voto para presidir a Câmara.

Para não cometer injustiça com nenhum dos parlamentares sorocabanos, assumo o compromisso de dar os nomes dos cinco vereadores citados seja qual vier a ser a decisão do Ministério Público.

A Mesa Diretora da Câmara (o presidente, vice-presidente e secretários) é eleita anualmente com o direito a uma reeleição sendo que os candidatos e os eleitores são os 20 vereadores sorocabanos. Cláudio do Sorocaba 1, o Gervino Gonçalves (PR), foi eleito para comandar o Legislativo sorocabano em 2014 e reeleito para este ano com seu mandato terminando em dezembro próximo, quando deve acontecer a eleição para a escolha de quem vai presidir a Câmara para o período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2016.

Comentários

Leia também