Seccional de Sorocaba vê impacto positivo na chegada de dois delegados ao novo governo e prevê a conclusão do último inquérito da Santa Casa, sobre lavagem de dinheiro, para fevereiro

carriel

O titular da Delegacia Seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, concedeu entrevista, nesta quinta-feira (29), à coluna O Deda Questão do Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema (FM 91,1Mhz), e entre os variados temas abordados dois deles merecem relevância. O primeiro deles é a chegada de dois delegados da Polícia Civil de Sorocaba no 1º escalação do prefeito José Crespo que começa no próximo domingo. E o segundo a reta final dos inquéritos envolvendo os crimes dos quais são acusados o antigo provedor da Santa Casa de Sorocaba.

Carriel enalteceu a experiência da delegada Jaqueline Coutinho, eleita vice-prefeita na chapa de Crespo, e do delegado José Augusto Pupin, escolhido por Crespo para comandar a secretaria de Segurança Comunitária e Guarda Civil Municipal. “Eles vão levar uma visão mais técnica, complexa e profunda do que é o trabalho da polícia em Sorocaba a um poder, o Executivo, que tanta influência exerce sobre a vida de uma cidade, e só isso já provocará um impacto positivo nas relações com todas as polícias que atuam em Sorocaba”. Provocado, Carriel disse que a relação com a atual administração, que encerra seu mandato no sábado, dia 31, sob o comando do prefeito Pannunzio “foi muito boa, mas entendo que a futura relação tem tudo para ter o impacto positivo”.

A respeito da Santa Casa, o delegado Seccional informou que dos cinco inquéritos, quatro já estão concluídos e o quinto deles, sobre lavagem de dinheiro, deverá estar pronto no máximo em 60 dias. Depois disso, o Ministério Público e na sequência a Justiça terá como fazer a acusação e dar a sentença. “O nosso trabalho, do ponto de vista técnico, cumpre o que determina a legislação e o apoio que tivemos de setores especializados da nossa inteligência científica, com cruzamentos de dados, entrada de recursos, aplicações em atividades que não correspondem à finalidade que era a saúde de Sorocaba vão ajudar a entender a falta de recursos e equipamentos da Santa Casa. Não vejo como os acusados negarem o que investigamos e entendemos como atos completamente fora da lei”, explicou Carriel.

Prudente, o delegado evitou adjetivos e se prendeu a questões técnicas da investigação. Quis saber se haveria mais nomes além do de José Antônio Fasiaben e ele disse que sim e se haveria nomes de políticos envolvidos e ele disse que isso somente a investigação poderá dizer, ou seja, se os fatos levarem aos políticos eles serão responsabilizados assim como Fasiaben e outros integrantes da sua gestão na diretoria da Santa Casa jpa foram.

Mais que pode e menos que deve

O delegado Carriel explicou que o índice engloba todas as atividades realizadas pela delegacia, como investigações, execução de mandados de prisão e busca, interceptações e inquéritos instaurados foram positivos em 2016. Carriel destacou, ainda, que a Seccional de Sorocaba também é considerada uma das maiores do Brasil, tanto em área territorial de atuação quanto em ocorrências. Ele resumiu dizendo que faz mais do que pode e menos do que deve se levado em conta a estrutura que possui, ou seja, avalia como positivo o desempenho de sua equipe. “Não fazemos mais, pois não há condição de estrutura, humana e de recursos. Costumo dizer que a gente faz mais do que deve e menos do que deve. Mas, os índices são muito bons”, afirmou

Não prevê mudanças

O delegado seccional disse também que, avaliando o histórico, não deve haver mudanças no comando dos principais cargos de segurança pública no Estado até o final do governo de Geraldo Alckmin (PSDB). Ou seja, mantido o secretário de Segurança e o Delegado Geral, não é para se esperar mudanças em nenhum outro comando sejam em Seccionais ou Deinters.

Comentários

Leia também