Secretário da Saúde assume a gestão da Santa Casa em meio a um clima de desconfiança dos funcionários. Despedida de gestor provoca emoção em alguns funcionários que chegaram a chorar com as palavras de motivação de Pimentel

CrespoMorenoPrefeito conversa com o secretário e simultaneamente gestor da Santa Casa observado pela esposa, Lilian, por secretários, assessores e vice-prefeita Jaquelina Coutinho

O médico José Luiz Pimentel percorreu alguns setores da Santa Casa na manhã de hoje para se despedir de funcionários e desejou sucesso e boa sorte a eles no novo período de gestão da prefeitura. Visivelmente abatido e insatisfeito com a forma que deixou o cargo de comandante da gestão do hospital desde que ela foi devolvida à prefeitura em dezembro passado, Pimentel provocou emoção e algumas funcionárias chegaram a ficar com o olhos marejados. Ele não escondeu total decepção com o padre Flávio (leia nota oficial do padre abaixo) que concordou com a requisição feita por Crespo.

Logo na sequência, quem ocupou o espaço foi o advogado Rodrigo Moreno, secretário da Saúde da Prefeitura da Sorocaba, que ao lado do Conselho de Administração e Conselho Fiscal da Irmandade Santa Casa assume o comando da gestão do hospital. O clima é de total desconfiança dos funcionários com o que virá a partir de agora.

Milton Sanches, presidente do SinSaúde (Sindicato Único dos Trabalhadores de Saúde de Sorocaba e Região), logo após entrevista ao vivo no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) na manhã de hoje, no corredor da rádio Ipanema, me disse que o clima é de apreensão e que do ponto de vista do funcionário a requisição não é boa. Perguntei o motivo e ele disse que pela experiência vivida pelos funcionários no período da requisição do prefeito Pannunzio. Expliquei que agora, embora o nome seja requisição, será num molde diferente do que foi e, ainda mais, ele demonstrou desconfiança: “diferente como? Ninguém consultou ou conversou com os funcionários ou Conselho Municipal da Saúde que é deliberativo. Se tivesse diálogo certamente não haveria esse clima de desconfiança. Amanhã (quarta-feira, dia 26) vai pegar fogo a reunião do Conselho Municipal da Saúde.

O secretário e o prefeito José Crespo participam de uma reunião nesta manhã com a diretoria da Irmandade e com Milton Saches, para discutir a transição e afiurmaram que não haverá qualquer mudança no sistema de atendimento da Santa Casa à população. Crespo disse também que todos os funcionários que atuam no hospital serão mantidos e terão os seus diretos garantidos.

A palavra do padre

Em nova divulgada à imprensa, o presidente da Irmandade Santa Casa, padre Flávio Jorge Miguel Júnior, afirmou que a requisição por tempo determinado foi acordada entre as partes, após reunião realizada na manhã de ontem na Prefeitura com representantes do Conselho de Administração e o do Conselho Fiscal da Irmandade. Nesta reunião, segundo comunicado, membros da equipe da Prefeitura teriam exposto “inúmeras irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas do Estado contra a hospital, alertando inclusive sobre eventual proibição de repasse de verbas públicas por problemas na prestação de contas e outras questões de atendimento à população”. Durante o encontro, cita a nota, foi negociado que a Irmandade poderá indicar um associado para participar efetivamente do processo de gestão do hospital. Essa representação ficará a cargo de Adalberto da Silva de Jesus. O presidente da Diretoria Executiva da Santa Casa, José Luiz Pimentel, foi desligado de suas funções.

TCE aponta, mas não julga

O que afirma o padre sobre os apontamentos do Tribunal de Contas, até o momento, são apontamentos pois não houve ainda julgamento. E não há data também para que isso aconteça. A decisão do padre, portanto, foi tomada em cima de acusações que hoje indicam irregularidades, mas que poderão indicar ações de normalidade e dentro da legislação.

Comentários

Leia também