Seis dos sete vereadores do MDB sorocabano aguardam decisão sobre quem vai ficar com o comando da legenda. Se ela for tirada de Renato Amary, os 6 vão deixar o partido e seguir com Renato

Até a próxima sexta-feira, dia 9 de março, caso não seja revertido a situação do diretório municipal do MDB, o comando da legenda em Sorocaba irá abrir a brecha jurídica para deixar livre cada militante e, principalmente, cada vereador (que cumprem mandato)  para que fiquem na legenda ou prefiram sair, acompanhando Renato Amary em uma nova legenda.

A dúvida é se basta o diretório municipal autorizar a saída dos vereadores para eles não perderem o mandato ou há a necessidade de que o diretório estadual também faça isso. O fato, certo, é de que haverá embates jurídicos.

São sete vereadores que hoje estão no MDB e apenas um, Fernando Dini, é contrário ao comando de Renato Amary à frente da legenda. Os outros seis parlamentares deverão seguir para onde for Renato: Hudson Pessini, Péricles Régis, Vitão do Cachorrão, Hélio Brasileiro; além dos suplentes Rafael Militão, suplente de Dini que está como secretário de Segurança; e Zé Medina que está vereador porque Marinho Marte e Cíntia de Almeida estão como secretários. Sei que Hudson Pessini se recusa a ir a qualquer partido que tenha a palavra Socialismo no nome, o que impediria, por exemplo, que todos caminhem ao PPS (Partido Popular Socialista) que tem apenas no nome, mas em hipótese alguma na prática, o socialismo.

O que aconteceu

A pergunta é: o que aconteceu que levou Baleia Rossi (com base eleitoral em Ribeirão Preto e presidente do diretório estadual do MDB) a abandonar o Renato?

A resposta vem de uma das lideranças do partido, que prefere o anonimato: Foi pintado um perfil de inoperância do atual presidente do MDB em Sorocaba, em que pese ele ter sido  o principal responsável pela eleição do prefeito, de seis vereadores e ser o principal nome da derrota do PSDB que depois de 20 anos deixou o comando da cidade. Renato Amary, portanto, está sendo traído. Mas apesar dos fatos, veio o refluxo de cima para baixo contra Renato cobrando novos fatos que provem a sua atividade política, traduzindo: queriam que o Renato saísse candidato… Renato é um pilar político estadual. E o que foi feito é que colocaram de forma encomendada a faca no pescoço dele. O Paulo Skaf, virtual candidato a governador ou a senador, entrou na briga a favor de Renato mas até o momento sem sucesso. O prazo é dia 9 de março. Agora, o fato é um só: o MDB perde muito com essa postura tomada contra o Renato e começa, na minha opinião, uma caminhada de costas para voltar a ser o que era MDB Sorocaba antes de Renato assumir o comando do partido e levar ele à vitória em 2016.

Foto mostra união

Na tarde de segunda-feira, 5 de março, o presidente da Câmara deu posse ao vereador José Roberto Medina (MDB), suplente que assume a vaga da ex-vereadora Cíntia de Almeida (MDB), licenciada para chefiar a Secretaria Municipal de Igualdade e Assistência Social.

Hoje ele já participou de sua primeira sessão e posaram para a foto desta página onde afirmam MDB Forte. Na imagem estão Hudson Pessini, Péricles Régis, Vitão do Cachorrão, Hélio Brasileiro, Rafael Militão e Zé Medina.

Comentários

Leia também