Sensacionalismo com terror na escola

Os vereadores Dini e Martinez não citam o colega Manga, mas com o simples fato de lembrarem das leis já em vigor no momento em que Manga alardeia suas intenções com um pedido no Ministério Público para que obrigue a Prefeitura de Sorocaba e o governo de São Paulo a cumprirem um conjunto de sugestões suas para evitar ataques em escolas, os dois permitem que a sociedade pense que as intenções de Manga estão além da segurança. Ou seja, estão nos votos. Boas intenções, e acredito que essa seja a intenção de Manga, quando mal comunicadas geram o sentimento de esperteza, de querer usar um fato (caso do medo de novos ataques) em benefício próprio (olhe, fui eu quem lutou por proteção), criam o sentimento de sensacionalismo. Certamente não é isso o que deseja Manga.

Entenda o caso

Desde que a direção da Escola Sesi de Sorocaba, a Prefeitura Municipal de Sorocaba, a Secretaria de Segurança e Defesa Civil, a Polícia Militar e a Polícia Civil Polícia Civil trataram da ameaça de ataques dentro da unidade Mangal do Sesi Sorocaba (fato que surgiu na esteira do massacre ocorrido dentro de uma escola pública de Suzano, na Grande São Paulo, onde 10 pessoas acabaram mortas), o vereador Manga decidiu sugerir à Prefeitura 4 ações de prevenção a ataques dentro das unidades escolares: 1) instalação de câmeras de monitoramento em todas as unidades de ensino do município; 2) instalação de detectores de metais; 3) contratação direta (rede privada) ou por concurso público (rede pública) de profissionais de segurança, capacitados ao uso de arma de fogo e aparelhos de choque para contenção de possíveis ações criminosas nas unidades de ensino; 4) implantação de sistema de controle de acesso e identificação de aluno, por meio de cartão magnético ou telemetria. A carta aberta foi enviada por e-mail ao prefeito e ao governador e será entregue posteriormente, em mãos, ao chefe do Poder Executivo de Sorocaba.

Mas Manga não se limitou a sugerir, agora ele anuncia que vai acionar o Ministério Público de Sorocaba quanto à possibilidade de obrigar a Prefeitura de Sorocaba e o Governo do Estado a implantar, emergencialmente, suas propostas antiterrorismo no município: “Eu estou indignado com esse posicionamento do Poder Executivo. Temos hoje em Sorocaba muitos pais e mães amedrontados”.

Sem citar diretamente o barulho que Manga está fazendo, o decano vereador da Câmara de Sorocaba, Engenheiro Martinez, autor de duas leis, uma prevendo videomonitoramento nas escolas e a outra a implantação de um plano de evacuação em caso de emergências, decidiu enfatizar a necessidade de que sejam cumpridas essas duas leis de sua autoria que, há mais de oito anos, já estabelecem medidas visando prevenir casos de violência nas escolas.

O vereador Fernando Dini, presidente da Câmara Municipal, por meio de requerimento protocolado na Casa, solicita ao Executivo informações sobre o cumprimento da Lei Municipal 9.166, de 15 de junho de 2010, que estabelece a área escolar de segurança como espaço de prioridade especial do Poder Público Municipal. Essa lei prevê uma série de medidas que visam tornar mais seguros os espaços circunvizinhos às escolas municipais, como intensificação das ações de fiscalização; iluminação pública adequada; pavimentação de ruas e manutenção de calçadas; poda de árvores e limpeza de terrenos; controle de terrenos baldios e prédios abandonados, bem como medidas de prevenção de acidentes no trânsito, como redutores de velocidade.

Comentários

Leia também